Prefeitura envia e-mail '#aécio45' a quatro dias das Eleições

Mensagem atacava o PT e conclamava o mineiro à disputa de segundo turno

E-mail enviado pela Secretaria de Comunicação de Botucatu

E-mail enviado pela Secretaria de Comunicação de Botucatu

por Sérgio Viana, com informações do Jornal da Cidade

Às 15h52 de quarta-feira (1° de outubro), a imprensa de Botucatu e região recebeu um e-mail da Secretaria Municipal de Comunicação intitulado: “Chegou a hora de levarmos o Aécio para o segundo turno pra tirar essa quadrilha que atende pelo nome de PT do poder… #aécio45,,,CONVITE: CERIMÔNIA DE ANÚNCIO DA INSTALAÇÃO DO PROGRAMA “BOM PRATO” EM BOTUCATU”.

Cerca de duas horas depois, um segundo e-mail oficial, assinado pelo secretário de Comunicação municipal, Carlos Pessoa, pedia que todos aqueles que receberam tal mensagem a desconsiderassem, uma vez que a “Prefeitura Municipal de Botucatu foi supostamente alvo da ação de hackers que, a partir de um endereço eletrônico da Secretaria Municipal de Comunicação, enviaram convites acompanhados de mensagem veiculando propaganda política discriminatória e parcial”. Confira a Nota Oficial na íntegra.

Candidatos e João Cury, durante visita de Aécio a Botucatu - foto Sérgio Viana

Candidatos e João Cury, durante visita de Aécio a Botucatu – foto Sérgio Viana

Às vésperas do dia 5 de outubro, quando as Eleições 2014 acontecem, o caso pode se tornar um problema ao Executivo botucatuense, já que se for comprovado o uso indevido da máquina pública – ou seja, dos serviços, funcionários, materiais, eventos e dependências da Prefeitura de Botucatu – pode configurar improbidade administrativa de seus responsáveis, acarretando em penalidades como multas rescisórias, cassação temporária dos direitos políticos e afastamento do cargo ocupado.

Nesta quinta-feira (2) a versão impressa do Jornal da Cidade, de Bauru (90 Km de Botucatu)- que também recebeu o email com as ofensas-, alertava para a reação do vereador petista Lelo Pagani. “É uma invasão de hacker para atacar a oposição? Complicado inverter essa situação”, afirmou Pagani, que classificou o caso como “absurdo” e solicitará informações sobre o caso através da Câmara Municipal de Vereadores.

O presidente do Partido dos Trabalhadores (PT) de Botucatu, Everaldo Rocha, afirmou que registrará um Boletim de Ocorrência (B.O.) nesta sexta, dia 6, para fomentar a denúncia à Justiça Eleitoral. Petistas querem saber se houve envolvimento de funcionários da Prefeitura no envio desastrado. Ainda na nota oficial emitida por Carlos Pessoa, o Executivo adotará todas as providências para que o assunto seja apurado. “O teor da informação porque não corresponde a verdade, nem à opinião da atual Administração, a qual, inclusive por dever institucional é apartidária, imparcial, democrática”, defende o secretário.

Fernando e João Cury e o Secretário Estadual de Desenvolvimento Social, Rogério Hamam

Fernando e João Cury e o Secretário Estadual de Desenvolvimento Social, Rogério Hamam – assessoria #tamojunto

O Programa Bom Prato em Botucatu, da Secretaria de Desenvolvimento Social do Estado, foi anunciado no dia 4 de setembro, pela campanha de Fernando Cury, irmão do Prefeito e candidato a Deputado Estadual, como uma conquista sua, que teria realizado um abaixo-assinado com 30 mil assinaturas pedindo a instalação do serviço – que cobra R$ 1,00 por refeição completa e R$ 0,50 por café da manhã. O restaurante será instalado no campus da Unesp em Rubião Júnior.

Não à toa, o convite ao evento de cerimônia do anúncio da futura instalação do Bom Prato, que acontece nas dependências da UNESP de Botucatu, às 10h desta sexta-feira (3), também foi encaminhado à imprensa pela assessoria de Fernando, na tarde de quinta. No entanto, a presença e uso de espaço em eventos oficiais, como festas, inaugurações e lançamentos, é vedada a qualquercandidato durante o período eleitoral, portanto Fernando não deverá comparecer à celebração.

Além de Fernando Cury, do PPS, outros dois candidatos botucatuenses concorrem a uma vaga na Assembleia Legislativa de São Paulo, a vereadora Rose Ielo (PT) e o advogado e assessor político, Renato Galendi (PRP).

Carro oficial na campanha de Aécio

Esta não é a segunda vez que a Prefeitura de Botucatu é colocada em situação constrangedora sobre o suposto uso de seus recursos em campanha eleitoral. Em julho, a reportagem do jornal Folha de São Paulo flagrou (clique aqui) o automóvel oficial de João estacionado atrás do comitê tucano, em São Paulo, durante a primeira reunião da campanha presidencial de Aécio Neves. João Cury é um expoente em seu partido e ajudou a articular a campanha presidencial no interior paulista.

 

Deixe uma resposta