Música caipira perde a cantora Inezita Barroso

Ela é reconhecida como a mais importante expressão artística da música caipira no país.

da Agência Brasil com TV Cultura

A cantora e apresentadora do programa Viola, Minha Viola, Inezita Barroso, morreu nesse domingo (8) à noite no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, aos 90 anos. Ela é reconhecida como a mais importante expressão artística da música caipira no país.

Inezita estava internada desde o dia 19 de fevereiro. A informação foi confirmada na página daTV Cultura na internet, emissora em que apresentava o programa.

A artista deixa uma filha, Marta Barroso, três netas e cinco bisnetos.

O velório será na Assembleia Legislativa de São Paulo (Avenida Pedro Álvares Cabral, 201 – Parque Ibirapuera), aberto ao público.

Artista gravou mais de 800 músicas

Nascida na Barra da Funda, em São Paulo Capital, Inezita Barroso começou a cantar e estudar violão aos sete anos, e aos 11 iniciou seu aprendizado de piano. Desde a infância, tomou gosto pelo universo rural. Seu pai, que tinha um importante cargo na Estrada de Ferro Sorocabana, incutiu na menina o gosto pelas viagens e proporcionou o contato com Raul Torres, com quem Inezita aprendeu várias melodias no violão.

A carreira profissional começou no início da década de 1950, durante um recital no Teatro Santa Isabel, em Recife, apresentação que rendeu um compromisso com a Rádio Clube do Recife. A paixão pela música de raiz, fez com que Inezita Barroso, através de seu trabalho, espalhasse este rico pedaço do folclore brasileiro pelos cantos do País.

Show da cantora na Fazenda Lageado, no ano de 1985 (Foto: acervo Sérgio Santa Rosa)

Show da cantora na Fazenda Lageado, no ano de 1985 (Foto: acervo Sérgio Santa Rosa)

Com mais meio século de carreira profissional, dedicados ao rádio, cinema, teatro e televisão, encontrou tempo também para ministrar diversos cursos e palestras sobre folclore brasileiro. Inezita é professora de Folclore Brasileiro e História da Música Popular Brasileira em duas Universidades de São Paulo, Unifai na Vila Mariana e Unicapital na Mooca.

Como atriz, atuou em sete filmes, recebendo o Prêmio Saci, um dos mais cobiçados da época, por sua atuação em “Mulher de Verdade”. É uma das cantoras mais premiadas do Brasil, sendo detentora de mais de 200 prêmios entre eles o Prêmio Sharp de Música (melhor cantora regional), Grande Prêmio do Júri do Prêmio Movimento de Música (homenagem aos seus 47 anos de carreira) e Prêmio Roquette Pinto (melhor cantora de rádio, da música popular brasileira), entre outros. Gravou 80 discos, com mais de 900 músicas.

Inezita Barroso já se apresentou com violão e viola ao lado de orquestras regidas por Hervê Cordovil, Guerra Peixe, Gabriel Migliori, Ciro Pereira, Radamés Gnatalli, Rui Tornezze, entre outros. Na televisão, sua carreira é longa. Começou junto com a inauguração da TV Record, de São Paulo, sendo a primeira cantora contratada. Protagonizou programas ao vivo na TV Tupi de São Paulo e em outras emissoras do Brasil, como TV Rio, Tupi do Rio de Janeiro, TV Itapuã da Bahia, TV Jornal do Comércio de Recife, TV Farroupilha de Porto Alegre, no Pará, Amazonas, Maranhão, Minas Gerais, entre outros.

Já foi enredo de várias escolas de samba de São Paulo, como Oba-Oba de Barueri, Cominados do Sapopemba, Pérola Negra, Iracema Meu Grande Amor e Mocidade de Paulínia, além de desfilar como convidada da Gaviões da Fiel.

Deixe uma resposta