Vereador quer isenção de tarifa de pedágio para quem mora em Anhumas

A alternativa oferecida aos moradores do Distrito é que os mesmos acessem o município se dirigindo pela Rodovia Castello Branco

da Câmara de Botucatu

Com problemas estruturais desde as fortes chuvas que atingiram a cidade no início do ano, a Serra de Botucatu foi tema de dois requerimentos encaminhados pelo vereador Izaias Colino durante a última sessão ordinária realizada na Câmara Municipal. Os pedidos são relacionados ao prazo das obras e a isenção de taxas de pedágio. Os dois requerimentos foram aprovados pela unanimidade dos demais legisladores.

O primeiro documento apresentado por Izaias, direcionado ao presidente da Concessionária Rodovias do Tietê, responsável pelo trecho que desabou, pede para que a empresa informe à Câmara Municipal, quais são os prazos para reabertura do local, bem como, para que envidem esforços no sentido de acelerar a reforma do trecho, uma vez que os moradores do Distrito de Anhumas, estão praticamente sem acesso ao município.

A alternativa oferecida aos moradores do Distrito é que os mesmos acessem o município se dirigindo pela Rodovia Castello Branco, na região de Bofete. O problema está no fato de que a mudança na rota, além de aumentar a distância percorrida, ainda obriga condutores a desembolsarem R$ 11,30 a cada passagem pela praça de pedágio de Itatinga, o valor mais alto praticado na região.Na tentativa de buscar uma solução para a questão, Izaias encaminhou um pedido à CCR SPvias, que administra a região.

“É estranho imaginar, mas são botucatuenses que precisam pagar pedágio para acessar sua própria cidade”, comenta. “Por isso meu segundo pedido para que a concessionária que administra a Castello, tenha compaixão e ofereça a isenção do pagamento da tarifa a esses moradores, ao menos enquanto as obras continuarem”, conclui Colino.