Da prática à teoria, da teoria à pratica

O direcionamento é dado, mas não as respostas

por Juliana Martini*

juliana martiniQuando alguém procura o psicólogo preocupado com o comportamento de seu filho, acredita que ele sabe todas as respostas para suas perguntas e vai saber orientar o que fazer em situações de conflito.

Mas o que todo psicólogo sabe, ou deveria saber, é dar direcionamentos de acordo com sua linha teórica, de acordo com seu conhecimento aprendido, e não respostas prontas, pois essas devem ser descobertas por cada pessoa, como o internauta que postou as regras dadas à filha para que realizasse as tarefas de casa, alternando senhas do wi-fi; o que quero dizer é que o direcionamento é dado, mas não as respostas.

Muitas pesquisas procuram e testam respostas em um número grande de crianças e adolescentes em diversos assuntos atualmente, seguindo normas e mantendo o rigor técnico necessário para ser aprovada por um comitê de ética.

Ou seja, posso supor que amamentar até os três anos de idade traz benefícios ao desenvolvimento emocional da criança, para que eu diga que isso é certo ou suponha ser verdade, precisarei levantar textos, discutir o tema, aplicar questionários, comparar dados de quem foi amamentado e quem não foi amamentado, e terei que fazer isso umas 50, 100, 200 vezes, dependendo se quero uma resposta mais forte e próxima da realidade ou não.

O tempo de duração dessas pesquisas vai variar de dois, cinco, dez anos. Ou seja, são processos longos, e as respostas muitas vezes são transmitidas apenas no meio acadêmico, dentro da Universidade, como fonte para novas pesquisas, tendo a comunidade pouco acesso a esse conhecimento.

Quando foco estudos relacionados à criança e ao adolescente é por entender que a base de mudança de uma sociedade está na educação, no cuidado, no afeto e na segurança emocional que proporcionamos a elas ainda na primeira infância. Assim, informando a todos o que tem dado certo ou não, cabe a cada um fazer sua escolha. Lembrando que não há respostas absolutas, pois o que é bom hoje pode não ser bom amanhã, e o que é bom para uma pessoa pode não ser para outra… São apenas informações, dicas, curiosidades… Torná-las possível ou verdade, será sempre escolha de cada um, em cada realidade

Havendo curiosidade sobre determinado tema, peço que deixe registrado nos comentários ou encaminhe e-mail!

Que haja luz! Que haja amor! Um abraço a todos!

*Juliana Martini é psicóloga, metre em Saúde Coletiva pela Unesp de Botucatu, psicóloga na rede assistência social de Botucatu, filha, mulher e mãe.

Deixe uma resposta