Restauradora da Pinacoteca de SP auxilia no trabalho de conservação de mais de 400 obras do MAC

Com 704 itens em seu acervo, o MAC poderá em breve tornar sua nova coleção acessível ao público, por meio de seu programa de exposições

da Prefeitura de Botucatu

A Secretaria de Cultura de Botucatu recebeu nesta última semana de março a restauradora Valeria de Mendonça, coordenadora do Núcleo de Restauro da Pinacoteca de São Paulo. Ela presta assessoria e acompanhamento pelo “Salve Gravura!”, projeto de difusão e preservação de acervos museológicos subsidiado pelo Programa de Ação Cultural (ProAC) do Governo do Estado e no qual Botucatu foi selecionada no final do ano passado.

O projeto propõe a higienização e acondicionamento de 432 gravuras adquiridas pela doação do Instituto Itaú Cultural e das gravuras já pertencentes ao acervo do MAC (Museu de Arte Contemporânea – Itajahy Martins). O trabalho em cima deste acervo tem sido realizado desde janeiro. Primeiro, as obras foram selecionas e organizadas por tamanho e autor. A atual etapa é a de confecção de caixas e pastas para o acondicionamento adequado das obras.

Valéria de Mendonça tem uma experiência na área de conservação e restauro em diversas instituições do Brasil e exterior. Com a visita da restauradora foi possível tirar dúvidas e adquirir mais orientações para a sequência do projeto que deverá ser concluído até o final de setembro com uma oficina prática e uma palestra com a participação da própria restauradora.

Atualmente o MAC possui uma coleção total de 704 obras, que ficará acondicionada na reserva técnica do Fórum das Artes / Pinacoteca Botucatu, edifício onde funcionou o antigo Fórum de Justiça a Cidade e que está em fase final de reformas e restauro. A proposta é que o Fórum das Artes seja em breve o primeiro museu no interior do Estado a atuar como uma extensão da tradicional Pinacoteca de São Paulo, que reúne obras de artistas renomados mundialmente.

“Tenho maior carinho pelo projeto [Fórum das Artes] porque Botucatu tem um acervo muito bom e um espaço magnífico. Tudo foi pensado para ter uma conservação adequada das obras que ficarão neste edifício que está sendo resgatado. Inclusive, dentro dele, haverá um espaço dedicado somente à parte de conservação preventiva e restauro das obras, que é um trabalho de longo prazo e que nunca tem fim. Por esse e outros motivos tenho certeza que Botucatu vai ser referencia para o interior paulista e outros estados”, afirma Valéria.

A Pinacoteca de São Paulo, desde 2012, estabeleceu parceria técnica com o MAC para o desenvolvimento das exposições e ações educativas envolvendo professores e alunos da rede pública e particular, entidades e público especiais, comunidades de bairro e público em geral. Tudo para que a população comece a entender e se apropriar do novo espaço destinado à cultura na Cidade.

Atualmente o MAC possui uma coleção total de 704 obras, que ficará acondicionada na reserva técnica do Fórum das Artes / Pinacoteca Botucatu

Atualmente o MAC possui uma coleção total de 704 obras, que ficará acondicionada na reserva técnica do Fórum das Artes / Pinacoteca Botucatu

“A instalação do Fórum das Artes possibilitará que a população do interior do Estado não precise ir somente aos grandes centros para ter contato com cultura de qualidade. E um dos principais objetivos é que este novo espaço seja também um centro de referência em educação em museus. Temos que oportunizar essa experiência ao público em geral, de todas as idades e classes sociais, pois a arte tem o dom de mexer com nossas emoções e conceitos”, avalia Claudia Basseto, diretora do MAC.

Sobre o MAC
O MAC iniciou seu acervo em 1984, ano de sua criação, com gravuras de artistas de renome nacional e internacional que tinham uma relação de amizade com seu fundador, o gravurista botucatuense Itajahy Martins. Com o tempo, essa coleção passou a incluir também pinturas, esculturas, objetos e tapeçarias, mas manteve sua vocação para a gravura. Hoje ele conta com obras de importantes nomes como Maria Bonomi, Takashi Fukushima, Rubens Ianelli, Renina Katz, João Rossi, Gilberto Salvador, Christina Parisi, Amilcar de Castro e Alberto Lefrève.

Com 704 itens em seu acervo, o MAC poderá em breve tornar sua nova coleção acessível ao público, por meio de seu programa de exposições. Com o correto tratamento desse acervo, a instituição prevê, ainda, a abertura de sua reserva técnica no Fórum das Artes (hoje acondicionada no Teatro Municipal – Camilo Fernandez Dinucci) a pesquisas e troca de experiências em conservação preventiva com profissionais e estudantes ligados a museus, acervos documentais e universidades.

Deixe uma resposta