Botucatu fechou mais de 110 postos de trabalho nos primeiros meses de 2017

No acumulado foram 2.327 admissões contra 2.445 demissões aponta dados do Ministério do Trabalho

por Flávio Fogueral

Mesmo esboçando recuperação na geração de emprego em fevereiro, Botucatu apresentou o fechamento em definitivo de 118 postos de trabalho, nos dois primeiros meses deste ano. No acumulado foram 2.327 admissões contra 2.445 demissões, conforme aponta dados registrados pelo Cadastro Geral dos Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho.

Em janeiro, o número de admissões foi de 1051, enquanto as demissões atingiram 1456 pessoas, dando um saldo negativo de 402 postos. Fevereiro, no entanto, mostrou uma recuperação na geração de emprego, com 1.276 contratações e 992 desligamentos, saldo positivo de 284 postos de trabalho.

Com isso, o município concentra 35.813 empregos formais- em 2016 foram 37.317 trabalhadores com carteira assinada-, nas 7.231 empresas pesquisadas pelo governo federal. As ocupações que mais demitiram, nestes dois primeiros meses do ano foram: Trabalhador no cultivo de árvores frutíferas (135), operador de telemarketing (128), vendedor de comércio varejista (60), operador de máquinas fixas (45), supervisor de montagem e instalação eletroeletrônica (33) e trabalhador de serviços de limpeza e conservação de áreas públicas (27).

Por outro lado, o Caged apontou que as funções que mais contrataram entre janeiro e fevereiro foram: motorista de ônibus urbano (92), armazenista (51), alimentador de linha de produção (41), montador de equipamentos elétricos (27).

Região fechou 143 vagas de trabalho neste início de ano

Na região analisada pelo Ministério do Trabalho, que compreende os municípios de Anhembi, Bofete, Conchas, Botucatu, Pardinho, Pratânia e São Manuel; janeiro e fevereiro registraram na somatória o fechamento de 143 vagas de trabalho, com 3.441 contratações e 3.589 demissões.

Deixe uma resposta