Milton Monti é citado em lista de inquérito na Operação Lava Jato

Lista foi divulgada pelo jornal O Estado de S.Paulo e faz parte das delações de executivos da Odebrecht

por Flávio Fogueral com informações do UOL, O Estado de S.Paulo e Ministério Público Federal

O deputado federal por São Manuel, Milton Monti (PR) aparece como um dos nomes listados pelo relator da Operação Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Edson Fachin. A lista contendo nove ministros do governo Temer, além de 29 senadores e 42 deputados federais, além de outros políticos, foi divulgada pelo jornal O Estado de S. Paulo e replicada pelo portal UOL. 

Os inquéritos fazem parte de pedido protocolado pelo Procurar-Geral da República, Rodrigo Janot, e integram as delações de 78 executivos do grupo Odebrecht. Parte dos citados na lista possuem foro privilegiado. Entre os ministros do governo Temer estão Eliseu Padilha (PMDB), Casa Civil; Gilberto Kassab (PSD), Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações; Moreira Franco (PMDB), Secretaria-Geral da Presidência da República; Roberto Freire (PPS), Cultura Bruno Araújo (PSDB), Cidades; Aloysio Nunes Ferreira (PSDB), Relações Exteriores; Blairo Maggi (PP), Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

No entanto, segundo o portal UOL, a assessoria de imprensa do STF não confirma as informações, enquanto que o jornal O Estado de S.Paulo alega ter acessado os despachos assinados eletronicamente por Fachin, no dia 4 de abril. Segundo o jornal paulistano, os delatores afirmaram que os crimes mais comuns foram corrupção passiva, corrupção ativa, lavagem de dinheiro, falsidade ideológica, e há também descrições a formação de cartel e fraude a licitações.

Monti declara não ter ciência do teor das delações da Odebrecht e reafirma que todas as doações de campanha foram dentro da lei

Monti declara não ter ciência do teor das delações da Odebrecht e reafirma que todas as doações de campanha foram dentro da lei

A assessoria de Milton Monti, em Brasília, emitiu uma nota oficial sobre o posicionamento do parlamentar referente às delações. No documento, Monti diz que “apesar de não ter conhecimento, neste momento, do teor das citações referentes ao meu nome nas delações da Odebrecht, reafirmo que agi sempre de acordo com a lei. Todas as doações para as minhas campanhas eleitorais foram feitas legalmente. É bom que se apure, pois, assim, a minha inocência será comprovada”, diz a nota.

Na prestação de contas da campanha de 2014, Monti- que está em seu quinto mandato como deputado federal-declarou ter obtido R$ 2.973.591,44 em receitas, mesmo valor sendo atribuído a despesas. O relatório está disponível no site do Tribunal Superior Eleitoral

Entenda a Lava Jato

A operação Lava Jato é a maior investigação de corrupção e lavagem de dinheiro promovida atualmente no Brasil. Estima-se que o volume de recursos desviados dos cofres da Petrobras, maior estatal do país, esteja na casa de bilhões de reais.

Nesse esquema, que dura pelo menos dez anos, grandes empreiteiras organizadas em cartel pagavam propina para altos executivos da estatal e outros agentes públicos. O valor da propina variava de 1% a 5% do montante total de contratos bilionários superfaturados. Esse suborno era distribuído por meio de operadores financeiros do esquema, incluindo doleiros investigados na primeira etapa.

Entenda melhor o caso.

Deixe uma resposta