Festival de Inverno

OPINIÃO | 13 de Maio – “Abolição da Escravatura”

O Brasil foi o último país livre da América a abolir totalmente a escravatura há 129 anos

por Isabel Cruz* 

Essa data é, desde o início dos anos 80, considerada pelo movimento negro como um dia nacional de luta contra o racismo. Exatamente para chamar atenção da sociedade para mostrar que a abolição legal da escravidão não garantiu condições reais de participação na sociedade para a população negra no Brasil. Infelizmente, a discriminação racial ainda predomina em diversas camadas da sociedade brasileira.

Assim, o Dia da Abolição da Escravatura também serve como um mecanismo de conscientização e educação para ajudar a erradicar completamente qualquer tipo de preconceito racial, defendendo ajustes da política à altura das exigências que uma maioria populacional impõe – 54% do Brasil é negro – tem que investir mais na unidade e ampliação de sua base social, propor também para além da esfera do racismo e pensar mais integralmente o Brasil.

O Brasil foi o último país livre da América a abolir totalmente a escravatura há 129 anos, porém hoje, com tantas reformas sendo propostas no âmbito trabalhista, previdenciário e ensino público, uma vez que as políticas econômicas que ignorem as discrepâncias sociais sempre apoiarão a desigualdade e exclusão dos que já estão solapados pelas injustiças históricas enraizadas no Brasil, o sistema escravagista quer arrancar nossos poucos direitos garantidos e nos submeter novamente à total escravidão.

Confira o discurso de Isabel Cruz durante o 1º Encontro Popular

Tem que se construir mais pontes com outros segmentos dos movimentos sociais e inserir as reivindicações voltadas à superação dos impactos do racismo no processo da luta popular pelas mudanças. Por isso é fundamental compor espaços de articulação local e nacional como a Coordenação dos Movimentos Sociais (CMS), Fórum Social Mundial (FSM), agendas inclusivas e horizontais como as pautadas pelas Centrais Sindicais, movimentos de juventude, feminista e LGBT, organização comunitária, ambiental, dentre outros.

A luta por maior debate das políticas públicas voltada às demandas da comunidade negra, inclusão e legitimidade a partir da aprovação das ações das políticas federais, estaduais e municipais tem que ser constante e fortalecida a todo momento para que possamos, enfim, comemorar a real Abolição da Escravatura no dia em que tivermos como máxima em todas comunidades a garantia real de dignidade e igualdade quando os mais afetados pela imposição de normas segue vitimando os já excluídos, hoje as mulheres e LGBTs negrxs de todo Brasil.

Isabel Cruz é Conselheira Municipal de Promoção da Igualdade Racial, Conselheira Municipal de Segurança Alimentar, Conselheira Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres, Diretora Sindical do SINCOMERCIÁRIO, Membro do Núcleo de Negras e Negros do PSOL Botucatu.

Faça seu comentário sobre esta Notícia: