Everaldo Rocha assume presidência do PT de Botucatu com meta de ampliar quadro de filiados

Presidente reeleito frisa que desafio será ‘estancar’ a debandada de filiados provocada pela crise de imagem do partido

por Flávio Fogueral

O Partido dos Trabalhadores (PT) teve empossada na noite de quarta-feira, 26, sua nova diretoria para os próximos dois anos. Estará à frente do Diretório Municipal o atual presidente, Everaldo Rocha, reeleito após consulta aos filiados aptos a votar, em abril.

A posse, realizada na sede do partido, contou com a presença do deputado e ex-presidente da Câmara dos Deputados (2007-2009) e atual presidente do Parlamento do Mercosul, Arlindo Chinaglia; do coordenador da macro região de Bauru, Luciano Assis, além de filiados, simpatizantes e membros convidados do Diretório Municipal do PT de Avaré, como o vereador Francisco Barreto.

Além da presidência, o partido também confirmou os membros titulares e suplentes de seu diretório, além de componentes de comissões internas. Pelo estatuto da legenda, cargos que compreendem a vice-presidência e secretarias, serão escolhidos em reunião com os membros titulares da Executiva local.

Rocha e Chinaglia debateram a conjuntura política, tanto em âmbito local quanto nacional, e os desafios do PT em meio à crise de imagem

Em seu discurso, Rocha avaliou o momento turbulento pelo qual o PT de Botucatu passou nos últimos quatro anos, ao sentir o reflexo da crise de imagem institucional a nível nacional, como o impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff e da condenação do ex-presidente Lula a nove anos e meio de prisão pelo juiz Sérgio Moro.

Localmente o partido teve este reflexo com a extinção de representatividade na Câmara Municipal com seus então vereadores Lelo Pagani, Carlos Trigo e Rose Ielo, filiando-se à Rede Sustentabilidade e PDT, respectivamente. Outros nomes como o ex-prefeito Mário Ielo e diversos petistas deixando a legenda. Atualmente o partido conta com mais de 250 botucatuenses filiados.

E é a ampliação do quadro de petistas que o presidente reeleito pretende trabalhar. Ao terminar sua avaliação de gestão, frisou que o momento é de “reorganizar as estruturas internas”. “Nesses próximos dois anos o objetivo será, primeiro, em organizar o partido em nível interno com suas estruturas. Tendo uma base financeira e política articulada, formaremos ações para novas filiações, com foco principal na juventude e núcleos de base. Isso culmina com nosso pensamento nas eleições de 2018 seja em âmbito regional coo ter candidato a deputado saindo daqui de Botucatu ou apoiando algum petista da região”, ressaltou Rocha.

Chinaglia, após assinar o termo de posse, frisou os desafios que o PT tem não só em âmbito nacional, mas em suas bases nos municípios. Reforçou a necessidade de aproximação do partido com as bases e, principalmente, com movimentos de representação de classe. Ainda disse que o partido não pensa em um “plano B” para as eleições de 2018, mesmo com o ex-presidente Lula condenado em primeira instância.

“Não imaginávamos uma direita tão bem articulada no Brasil. Ninguém tem uma ‘bola de cristal’ para saber o que irá acontecer adiante (sobre o cenário eleitoral). Mas, se esperarmos para agir, o PT dança”, declarou o parlamentar.

Amor e ódio ao partido

Durante a reunião que oficializou a posse de Everaldo Rocha como presidente do Diretório Municipal do PT em Botucatu, a manifestação popular se fez presente. Isso porque a sede do partido é localizada na Rua João Passos, concentrando grande fluxo de veículos e pedestres.

Foi possível ouvir gritos, seja de “amor ao partido” falando “É Lula” quando de “reprovação” como “Lula Ladrão” e até mesmo “Bolsonaro”. Reflexo da crise de imagem pela qual a legenda passa seja com denúncias de corrupção, impeachment de Dilma e a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Deixe uma resposta