Mais de 17 mil títulos eleitorais serão cancelados em Botucatu por falta de cadastro biométrico

 

O cadastramento biométrico é obrigatório a todos os eleitores até 70 anos

por Flávio Fogueral

Após extensa campanha de divulgação, ações em escolas, empresas e pontos comerciais de Botucatu e região, o cadastramento biométrico promovido pela Justiça Eleitoral termina na sexta-feira, 23, não tendo mais prorrogação de prazo. No entanto, mais de 17.600 botucatuenses correm o risco de perder o título eleitoral e sofrer com as sanções impostas pela lei.

O cadastramento biométrico é obrigatório a todos os eleitores até 70 anos. Após essa faixa etária só deve se efetuar a atualização os eleitores que queiram continuar votando. Quem tiver o título cancelado sofrerá sanções que vão desde a recusa na emissão de documentos como passaporte, bloqueio do CPF e impedimento de participação em concursos públicos.

Dados do Cartório Eleitoral da 26ª Zona Eleitoral de Botucatu- que compreende aindas as cidades de Pardinho e Itatinga-, apontam que 20.804 eleitores não fizeram a atualização cadastral exigida em lei. Somente Botucatu concentra 17.665 eleitores em débito, com Itatinga (2.326) e Pardinho (813).

Igor Ignácio, chefe do Cartório Eleitoral da 26ª ZE, salienta que este número era esperado, tendo em vista que 30% dos 106 mil eleitores cadastrados em Botucatu já têm o voto facultativo (pessoas acima dos 70 anos e analfabetos). “Mesmo com esse número, avaliamos que o cadastramento biométrico atingiu o êxito esperado já que, 90% dos botucatuenses que são obrigados a votar, atualizaram seus dados perante à Justiça Eleitoral”, frisou.

A movimentação foi intensa nos dias que antecedem o final do prazo. Somente na segunda e terça-feira, 923 eleitores procuraram o cartório para o cadastro que durava, em média, 5 minutos. Nos dias finais de cadastro, o braço da Justiça Eleitoral tem iniciado o atendimento ao público às 7h30 e finalizando às 17h30, de maneira ininterrupta.

Quem perder o prazo e quiser regularizar a situação terá que procurar pessoalmente o cartório eleitoral, munido de documentos pessoais com foto (RG ou Carteira Nacional de Habilitação) e comprovante de endereço residencial para os trâmites burocráticos.

Ignácio ressaltou que boa parte da campanha teve êxito por causa de campanhas de conscientização, além de iniciativas como o “Cartório Itinerante”, onde o cadastramento era feito diretamente em empresas, escolas, fazendas, associações de bairros e até em hospitais e no Shopping Botucatu.

Terceirizados ficarão até 9 de maio

Para que o trabalho de cadastro biométrico dos mais de 106 mil eleitores botucatuenses fosse possível, a Justiça Eleitoral contratou 39 assistentes, de forma terceirizada. Eles foram responsáveis pelo atendimento ao público, coleta e inserção dos dados no sistema.

Ignácio explica que o contingente será mantido até 9 de maio, quando termina o prazo para a emissão de novos títulos eleitorais ou mesmo transferência de locais de votação. O chefe ressalta que parte desses trabalhadores terceirizados será mantida também no auxílio dos trabalhos logísticos que o cartório terá nas eleições de outubro.