Passageiros enfrentam viagem em pé e sentados em degraus na linha Botucatu/Itatinga

Flagra de passageiros acima do permitido ocorreu na sexta-feira (16), durante a viagem, no período da tarde

por Flávio Fogueral

Ônibus com lotação acima do permitido e velocidade em excesso. Essa é a realidade que usuários do transporte público enfrentam para se deslocar entre Botucatu e Itatinga. O flagra de passageiros acima do permitido ocorreu na sexta-feira (16), durante a viagem, no período da tarde, entre os dois municípios. 

Passageiros são obrigados a viajar em pé ou sentados nos degraus

Imagem enviada por um passageiro- que preferiu não se identificar-, mostra pessoas viajando em pé ou sentadas no degrau e plataforma de acesso a deficientes físicos. Segundo o reclamante, essa situação ocorre com frequência, principalmente no último horário entre Itatinga e Botucatu (às 18h15), onde os passageiros não encontram bancos suficientes à disposição. Salientou que, muitas vezes os veículos colocados para as viagens não apresentam conservação satisfatória.

Outro flagra de lotação máxima enfrentado por usuários desta linha ocorreu na quarta-feira (21), por volta das 16 horas, onde o ônibus que se dirigia de Botucatu a Itatinga apresentava novo acúmulo de passageiros. Muitas pessoas- incluindo crianças- se espremem em pé no corredor. Não é possível, por exemplo, passar pela catraca de cobrança.

A cena foi registrada pela atendente de farmácia, Liliane Silveira. Ela contou que a cena é comum, sendo que muitos passageiros, inclusive, chegam a viajar próximas ao motorista, devido à falta de espaço. Ela fez esse trajeto durante três anos antes de mudar-se em definitivo para Botucatu. Mesmo assim, utiliza toda semana a linha para visitar parentes em Itatinga.

Os veículos usados para o transporte de passageiros, nesse trecho intermunicipal, é o do tipo circular/convencional, o mesmo encontrado dentro da área urbana. A passagem é de R$ 6,25 por trajeto, com duração de 45 minutos. A Rápido Luxo Campinas (Osastur), empresa operadora da linha Botucatu/Itatinga, coloca cinco horários disponíveis para a viagem.

Outro flagra ocorreu na quarta-feira, 21, por volta das 16 horas. Crianças vão em pé e estão espremidas pelos demais passageiros.

A operadora da linha foi procurada pela reportagem para comentar sobre o assunto, mas não retornou o contato até o fechamento desta edição. A Agência Reguladora de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp), órgão estatal voltado à fiscalização dos serviços prestados pelas empresas, ressaltou que emitiu mais de 360 multas contra a Rápido Luxo Campinas, em 2017, por diversas irregularidades. 

No entanto, segundo o órgão estadual, os ônibus utilizados neste trecho atendem às características previstas nas modalidades do Transporte Coletivo Intermunicipal Regular. As linhas operadas pela Rápido Luxo Campinas são classificadas como suburbanas, com a cobrança de passagens no interior do veículo. Pela regulamentação, são permitidas paradas em pontos e abrigos ao longo do trajeto. Também são utilizados veículos tipo ônibus urbano convencional com portas independentes para embarque e desembarque, assentos não numerados e é permitido o transporte de passageiros em pé.​​​

A Artesp ressalta que fará averiguações na linha que atende Botucatu, Itatinga e Avaré (destino final), para averiguar descumprimentos por parte da empresa concessionária. Não dá, portanto, previsão para que a ação ocorra. Entre os itens que serão analisados estão:  condições mecânicas dos ônibus, assim como itens de segurança, de higiene, o cumprimento de horários e se os veículos estão devidamente cadastrados na agência.

Os usuários podem registrar queixas e sugestões junto à Ouvidoria da Artesp pelo telefone 0800-727-83-77 ou pelo endereço eletrônico [email protected].

Sobre Flavio Fogueral