Paulistas estreiam no Brasileiro para manter hegemonia

Das 61 edições da competição, 31 foram conquistas por times de São Paulo

da FPF

Com os quatro principais clubes do estado na disputa, começa neste final de semana o Campeonato Brasileiro. Maiores vencedores do título nacional desde 1960, os times paulistas entram em campo para manter a hegemonia histórica e recente, já que as últimas três taças ficaram com equipes paulistas.

Das 61 edições da competição, 31 foram conquistas por times de São Paulo. Destaque para os nove títulos do Palmeiras, oito do Santos, sete do Corinthians e seis do São Paulo. Além disso, há ainda o título do Guarani, o único de um time oriundo do interior, em 1978.

Nas últimas três edições, o troféu ficou com uma equipe paulista. Em 2015 e 2017 o Corinthians foi o vencedor, enquanto em 2016 a tala ficou com o Palmeiras. Além disso, na era dos pontos corridos o time do Parque São Jorge ganhou mais dois títulos (2011 e 2005); o São Paulo foi tricampeão em 2006, 2007 e 2008; e o Santos ficou com a taça em 2004.

Terceiro colocado no ano passado, o time da Vila Belmiro é o primeiro a entrar em campo, neste sábado, às 21h, no estádio do Pacaembu diante do Ceará. No domingo, em sua Arena, é a vez de o Corinthians, atual campeão, estrear, às 16h, diante do Fluminense. Palmeiras e São Paulo, por sua vez, fazem seus primeiros jogos na segunda-feira, às 20h. O alviverde visita o Botafogo no Engenhão, enquanto os tricolores recebem o Paraná no Morumbi.

O atual campeão
Após iniciar a temporada de 2017 desacreditado e ganhar Paulista e Brasileiro, o Corinthians iniciou essa temporada com mais responsabilidade e pareceu lidar bem com isso. Mesmo sem ser favorito, superou o arquirrival Palmeiras jogando longe de sua torcida para reverter a vantagem e, nos pênaltis, ser bicampeão estadual, feito que não atingia desde as temporadas 1982 e 1983.

Ainda se ressentindo da falta de Jô, camisa 9 e principal nome da temporada passada, o técnico Fabio Carille tem apostado na boa finalização de seus meias para ocupar esta lacuna. Com boas opções na cabeça de área e pontas rápidos e aplicados, o treinador corintiano tem apostado em Jadson e Rodriguinho posicionados mais à frente, com liberdade para atacar.

Desta maneira, o provável time base corintiano para a competição deve ter Cássio; Fágner, Balbuena, Henrique e Sidcley; Gabriel, Ralf, Rodriguinho e Jadson; Matheus Vital e Clayson. Titular na reta final do estadual, Maycon pode perder espaço por ter transferência avançada para o futebol ucraniano, enquanto Romero, idolatrado pela torcida por sua entrega, é considerado 12º jogador, tal qual o veterano Emerson Sheik.

Posição Elenco do Corinthians
Goleiros Caíque França, Cássio, Matheus Vidotto e Walter
Laterais Direito Fagner e Léo Príncipe
Zagueiros Balbuena, Carlos, Henrique, Léo Santos, Marllon, Pedro Henrique e Vilson
Laterais Esquerdo Juninho Capixaba e Sidcley
Volantes Gabriel, Jean, Mantuan, Maycon, Paulo Roberto, Ralf e Renê Júnior
Meias Danilo, Jadson, Marquinhos Gabriel, Mateus Vital, Pedrinho e Rodriguinho
Atacantes Clayson, Emerson Sheik, Júnior Dutra, Kazim, Lucca, Matheus Matias e Romero

O badalado alviverde
Segundo colocado na competição passada e dono de elenco bastante forte e badalado, o Palmeiras entrou na temporada com a responsabilidade de disputar todos os títulos que dispute. No Paulista, acabou derrotado na final, nos pênaltis, fato que aumenta a exigência da torcida para o Brasileiro, onde conta com as diversas opções à disposição de Roger Machado para fazer valer o favoritismo.

Com time base titular praticamente definido pelo treinador, falta ao Palmeiras maior fluidez de jogo. Time com melhor ataque de todo o Paulistão, a equipe alviverde pecou neste quesito quando enfrentou seus principais rivais na reta final e, no placar agregado, empatou com o Santos (2×2) e com o Corinthians (1×1). Jailson, porém, foi o ponto alto da campanha palestrina, sendo eleito o craque do estadual e se firmando na disputa acirrada com Fernando Prass e Weverton.

Com inúmeras opções, Roger Machado definiu seu time-base com Jailson; Marcos Rocha, Thiago Martins, Antônio Carlos e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique e Lucas Lima; Dudu, Willian e Borja. Experiente e com pré-temporada mais longa, Edu Dracena deve aparecer neste time, enquanto o rápido Keno pede passagem no ataque.

Posição Elenco do Palmeiras
Goleiros Daniel Fuzato, Fernando Prass, Jailson e Weverton
Laterais Direito Jean, Marcos Rocha e Mayke
Zagueiros Antônio Carlos, Edu Dracena, Emerson Santos, Juninho, Luan, Pedrão e Thiago Martins
Laterais Esquerdo Diogo Barbosa e Victor Luis
Volantes Bruno Henrique, Felipe Melo, Moisés, Tchê Tchê e Thiago Santos
Meias Guerra, Hyoran, Lucas Lima e Michel Bastos
Atacantes Artur, Borja, Deyverson, Dudu, Keno e Willian

Os Meninos da Vila
Em terceiro na última temporada, o Santos surpreendeu muita gente e entra nessa nova edição com o mesmo intuito. Após perder nomes importantes como Ricardo Oliveira, Lucas Lima e Zeca, o time da Vila Belmiro se reinventa sob a batuta de Jair Ventura e com a esperança nas novas promessas oriundas de sua já experimentada categoria de base.

Com o treinador optando por conhecer todo o elenco que tem à disposição, o time santista foi apenas regular na primeira fase do Paulistão, sofreu nas quartas, mas mostrou força diante do Palmeiras no Pacaembu lotado da torcida rival. Com defesa sólida e ataque jovem e imprevisível, o Santos ainda se ressente de um líder técnico no meio de campo. Um ponto positivo é o elenco homogêneo, sem grandes destaques individuais.

Com Jair podendo contar com Bruno Henrique após cerca de três meses parado, o time-base do Santos deve ter Vanderlei; Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Dodô; Alison e Renato; Rodrygo, Sasha, Bruno Henrique e Gabriel. No entanto, há quase um time reserva de atletas em nível parecido com os titulares, como Vladimir, Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique, Jean Mota, Léo Citadini, Vecchio, Vitor Bueno, Diogo Vitor, Copete, Arthur Gomes…

Posição Elenco do Santos
Goleiros João Paulo, Vanderlei e Vladimir
Laterais Direito Daniel Guedes e Victor Ferraz
Zagueiros David Braz, Gustavo Henrique, Lucas Veríssimo, Luis Felipe, Matheus Guedes e Robson Bambu
Laterais Esquerdo Caju, Dodô e Emerson
Volantes Alison, Gabriel Calabres, Guilherme Nunes, Renato, Léo Citadini, Victor Yan e Yuri
Meias Jean Mota, Lucas Lourenço, Vecchio e Vitor Bueno
Atacantes Arthur Gomes, Bruno Henrique, Copete, Diogo Vitor, Eduardo Sasha, Gabriel, Rodrygo e Yuri Alberto

O aguerrido tricolor
Sem conquistar um título desde 2012, quando venceu a Copa Sul Americana, e tendo lutado contra o rebaixamento no Brasileiro do ano passado, o São Paulo tem vivido temporadas incomuns para seus torcedores. A tentativa de mudança desta vez prevê o sucesso já comprovado de uruguaios no clube. O técnico Diego Aguirre já iniciou o processo de dar alma à equipe que só foi eliminada nos pênaltis pelo rival Corinthians no estadual.

Sem nomes importantes do ano passado como Hernanes e Lucas Pratto, o São Paulo iniciou a temporada sem referências no elenco. Diego Souza e Nenê chegaram para tal, mas somente o segundo conseguiu se firmar neste sentido. Valdivia, que chegou mais tarde, deu qualidade e ímpeto à equipe. No entanto, a grande mudança que anima o torcedor para o Brasileiro é a chegada do uruguaio Diego Aguirre ao comando do time.

Se nos poucos jogos que comandou o São Paulo não passou a atuar de forma exuberante, ao menos teve entrega e disposição. Além disso, o treinador aposta num esquema tático consagrado no Morumbi: o 3-5-2 que deve ter como time-base Sidão; Arboleda, Rodrigo Caio e Anderson Martins; Éder Militão, Jucilei, Liziero e Reinaldo e Nenê; Valdivia e Trellez.

Posição Elenco do São Paulo
Goleiros Jean, Lucas Paes, Lucas Perri e Sidão
Laterais Direito Bruno, Éder Militão e Régis
Zagueiros Aderllan, Anderson Martins, Arboleda, Bruno Alves e Rodrigo Caio
Laterais Esquerdo Edimar, Júnior Tavares e Reinaldo
Volantes Araruna, Hudson Jucilei, Liziero e Petros
Meias Cueva, Lucas Fernandes, Marcos Guilherme, Nenê, Paulo Henrique, Shaylon e Valdivia
Atacantes Bissoli, Brenner, Caique, Diego Souza, Carneiro, Morato, Paulinho Bóia e Tréllez