Indústrias botucatuenses e da região criaram 100 postos de trabalho em abril

Puxaram o índice empresas ligadas aos setores produtivos de metalurgia e confecção

por Flávio Fogueral

Mesmo com indefinições quanto ao furuto de grandes empresas como a Embraer e a Anidro, o nível de emprego na indústria na região de abrangência de Botucatu do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) apresentou alta, com a geração de cem novos postos de trabalho em abril.

O balanço foi divulgado nesta quarta-feira, 16, pela Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), e apontou que a variação positiva no mês foi de 0,40%, fazendo com que o acumulado some 1,54%, ou 450 novos postos de trabalho. No entanto, somado aos últimos meses, a indústria regional ainda sente os efeitos da retração econômica, com queda de 3.050 (-9,57%) nos empregos.

Puxaram o índice empresas ligadas aos setores produtivos de metalurgia e confecção. As empresas de produção de metal- exceto máquinas e equipamentos- obteve crescimento de 8,82% nos postos de trabalho em abril. Na sequência aparecem confecção de artigos do vestuário e acessórios (1,01%); celulose, papel e produtos de papel (0,11%) e veículos automotores e autopeças (0,83%).

Em contrapartida, os setores que mais encerraram postos de trabalho foram os relacionados a produtos farmoquímicos e farmacêuticos (-23,08%); bebidas (-5,88%) e artefatos de couro, calçados e artigos para viagem (-4,76%).

A regional de Botucatu do Ciesp agrega 28 municípios cujo parque industrial é diversificado e atendem às características de suas sedes. Entre as localidades pertencentes à divisão administrativa da entidade estão Avaré, Lençóis Paulista, São Manuel, Pardinho, Bofete, Conchas, Anhembi, Pratânia, Santa Cruz do Rio Pardo, Itatinga, entre outras.

Estado encerra abril com variação positiva nas vagas de trabalho

A indústria paulista encerrou abril com geração de 9,5 mil novos postos de trabalho, uma alta moderada de 0,44% em relação a março na série sem ajuste sazonal. No acumulado do ano, o resultado também sofreu variação positiva, com 32 mil novas vagas (+1,50%). Com ajuste sazonal, o índice apresentou recuo de -0,18% no mês.

Entre as 36 diretorias regionais, houve variação nos resultados. Nas 27 que apontaram altas, destaque por conta de Franca (2,97%), influenciada pelo setor de artefatos de couro e calçados (4,10%) e produtos alimentícios (2,71%); Sertãozinho (2,58%), por produtos alimentícios (2,41%) e produtos de metal (1,46%) e Piracicaba (2,56%), por produtos alimentícios (9,94%) e veículos automotores e autopeças (1,87%).

Já das 8 negativas, destaque para Jaú (-2,22%), por artefatos de couro e calçados (-28,98%) e produtos de metal (-7,14%); Santos (-1,86%), por impressão e reprodução gravações (-13,82%) e confecção de artigos do vestuário (-13,33%); São Caetano do Sul (-1,37%), influenciado por produtos de metal (-2,65%) e produtos alimentícios (-0,79%).