Rose Ielo solicita que reajuste de servidores municipais acompanhe a inflação

Vereadora sugere que o reajuste do funcionalismo seja de, no mínimo, 2,76%, acompanhando a inflação dos últimos 12 meses

da Câmara de Botucatu

A vereadora Rose Ielo (PDT) trouxe à pauta um assunto do maior interesse para a categoria dos servidores municipais, que têm data base no mês de maio: a do reajuste salarial. Em requerimento aprovado por unanimidade na sessão de 14 de maio, ela sugere que o reajuste do funcionalismo seja de, no mínimo, 2,76%, acompanhando a inflação dos últimos 12 meses (IPC-A).

No documento, a vereadora argumenta que a Prefeitura reajusta os tributos municipais, como o IPTU, por exemplo, com base no índice de inflação IPC-A e que aumentou em 4,08% seu orçamento em 2018 (Decreto 11.134/2017). “Na prestação de contas do exercício de 2017 houve excesso de arrecadação financeira de mais de 26 milhões de reais, o que demonstra a possibilidade de reajuste e aumento salarial dos servidores”, comenta.

Segundo Rose Ielo, a “não reposição salarial” está causando prejuízos no orçamento dos funcionários municipais, que vêm sentindo a desvalorização de seu poder de compra nos últimos sete anos. “Por isso, também estou pedindo que o prefeito Mário Pardini estude a possibilidade de conceder aumento real, para a recuperação salarial dos anos anteriores, amortizando um déficit atual de 18,46% dos salários dos servidores da Prefeitura de Botucatu”, completa.

Para ela, esse ajuste é de extrema importância, pois vai refletir no serviço executado diretamente pelos funcionários municipais e é, também, uma demonstração de respeito a toda a população de Botucatu, que paga seus impostos e merece serviços de qualidade prestados por funcionários motivados.