Projeto educacional Desafio Pantera Negra é lançado em Botucatu

Na manhã de 23 de maio, mais de 200 crianças entre 10 e 16 anos foram ao cinema para assistir ao filme

da Assessoria

Primeiro filme da Marvel lançado em 2018, Pantera Negra já bateu recordes de bilheteria em todo o mundo. Com praticamente 99% do elenco composto por atores negros, o filme conta a história de T’Challa, príncipe que vira rei de Wakanda após a morte do pai. T’Challa é o primeiro protagonista negro da Marvel.

Por trazer a tona questões referentes à visibilidade negra e a união entre os povos, surgiu nos Estados Unidos o movimento chamado Black Panther Challenge, que tem como objetivo arrecadar fundos para levar crianças que não possuem condições financeiras para assistir ao filme Pantera Negra.

O movimento ganhou visibilidade no Brasil e chegou à Botucatu. O aluno da Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB), Alec Joe; o empreendedor social Tiago de Oliveira e a psicóloga Gisele Lima resolveram arrecadar fundos para idealizar a ação na cidade, e assim, surgiu o projeto “Desafio Pantera Negra – Heróis Reais Botucatu”. A execução do projeto foi feita pela empresa GOSPOP, uma startup social que desenvolve ações na cidade a mais de sete anos.

Na manhã do dia 23 de maio, mais de 200 crianças entre 10 e 16 anos foram ao cinema para assistir ao filme. O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB) e a Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB) são parceiras do Desafio Pantera Negra, apoiando a divulgação, o transporte e a distribuição de lanches para as crianças durante o filme.

Tiago de Oliveira agradeceu aos alunos presentes e deixou uma mensagem. “Os nossos sonhos não tem diferença. Cada um sonha uma coisa. Não importa qual é o seu sonho, voltem para a escola sabendo que você pode realizá-lo”, disse.

O estudante de medicina Alec Joe comentou a importância da conscientização da cultura negra. “Vocês são maioria. Nosso intuito é mostrar a vocês  que sim, vocês podem fazer qualquer coisa. Obrigado por todos que me ajudaram a realizar esse projeto que eu sonhei sim, mas não sozinho”, afirmou.

O superintendente do HCFMB, Dr. André Balbi complementou. “O HC está aqui hoje porque tem cerca de três mil heróis trabalhando todos os dias. Vocês podem ser os próximos heróis. Vocês, jovens, representam o futuro. Que a caminhada de vocês seja de sucesso. O HC precisa de vocês”,finalizou.

O projeto contou com o apoio e parcerias das empresas Malu Ornelas Fotografia, Produtora Orion e Vale do Sol; das escolas e projetos Nutras, Casa Transitória, EECA , Escola Estadual Francisco Guedelha  e das equipes de artes Cia. James e Grupo Afro Kitwana.

Desafio continua

Após a sessão, os alunos debateram as questões colocadas no filme, como o não as drogas, o combate à violência, o empoderamento racial, a igualdade de gênero e o protagonismo jovem.

O “Desafio Pantera Negra – Heróis Reais Botucatu” já tem um cronograma com outras ações e continua até o dia 20 de novembro, com atividades culturais, visitas técnicas, atividades pedagógicas, entre outras. A meta é atingir cerca de 1.700 crianças de Botucatu.