Servidores e professores da Unesp, em greve, farão manifestação na Catedral nesta terça (5)

A manifestação ocorre a partir das 9 horas no Largo da Catedral

por Flávio Fogueral

Servidores técnico-administrativos, professores e alunos da Universidade Estadual Paulista (Unesp) do câmpus de Botucatu farão ato, nesta terça-feira (5) para mostrar à população botucatuense a pauta de reivindicações da comunidade universitária. A manifestação ocorre a partir das 9 horas no Largo da Catedral.

O ato foi definido durante reunião na tarde desta segunda-feira, 4, na sede da Associação dos Docentes da Unesp, em Rubião Júnior. Na ocasião, tanto servidores quanto professores avaliaram o andamento da mobilização e alinharam a pauta de reivindicações.

Categoria está em greve desde dia 28 de maio. Motivação foi a proposta de reajuste de 1,5%, oferecida pelo Cruesp- Conselho de Reitores das Universidades Estaduais Paulistas-, que engloba ainda a USP e Unicamp. Segundo sindicatos representativos de servidores (Sintunesp) e professores (ADunesp), seria necessário, conforme estimativa da entidade, aumento superior a 16% para o alinhamento nos vencimentos comparativamente com os funcionários das outras duas universidades públicas estaduais.

Em 2017 não houve reajuste salarial aos servidores e professores da Unesp, e o pagamento do décimo terceiro salário  aos regidos no sistema autárquico só ocorreu por causa de intensa negociação e ordem judicial.

Desconto dos dias parados

Os sindicatos grevistas reclamam, ainda, da “pressão” que a reitoria da Unesp exerce nas chefias de unidades e departamentos. Tudo por causa de um comunicado interno destinado às chefias de setor e unidades administrativas, o desconto dos dias parados no pagamento dos grevistas. No câmpus de Botucatu, há funcionários que nem cogitam em deixar seus postos, o que pode enfraquecer a mobilização.