Garantia de acessibilidade nas áreas externas do Cachoeirinha são alvo de requerimento

Segundo ele, além dos obstáculos citados, é importante que nas calçadas também sejam instalados piso tátil

da Câmara de Botucatu

Na mesma lógica do “é melhor prevenir do que remediar”, o vereador Carlos Trigo (PDT) apresentou na sessão de 10 de julho o requerimento 600. Por enquanto, ele está se adiantando para evitar um possível problema de acessibilidade.

No documento, ele solicita que o Poder Executivo informe se na parte externa dos Conjuntos Habitacionais Cachoeirinha I, II, III e IV estão sendo observadas as garantias que permitem o acesso às pessoas com deficiência e mobilidade reduzida.

“Temos no município uma lei que reserva 10% dos imóveis de cada empreendimento habitacional criado e/ou construído com a participação do Poder Público a pessoas com alguma deficiência [Lei Municipal nº 4.516/2004]. No Cachoeirinha, serão entregues 992 moradias e poderá acontecer de residirem ali aproximadamente 100 pessoas com algum tipo de deficiência. Temos que garantir que elas tenham condições de ir e vir, sem obstáculos, tais como degraus e valetas e este requerimento é para saber se isso está sendo respeitado na construção do empreendimento. Se não estiver, vamos pensar em como consertar isso”, argumenta o vereador.

Segundo ele, além dos obstáculos citados, é importante que nas calçadas também sejam instalados piso tátil para deficientes visuais, rampas para cadeirantes e, ainda, que haja ponto de ônibus com fácil acesso para pessoas com deficiência e mobilidade reduzida.