Sindicato confirma mais de 100 demissões na transferência de bens entre Duratex e Eucatex

As diretorias da Duratex e Eucatex informaram ao mercado que fariam um acordo para troca de uma fazenda

da Redação

O Sindicato dos Trabalhadores na Construção Civil e Mobiliário de Botucatu e Região está assessorando mais de cem trabalhadores da Duratex que foram demitidos nesta terça-feira, 2, na unidade de fibra, que foi assumida pela Eucatex, no início do ano, em troca de uma fazenda na região de Capão Bonito.

“Foi divulgado que não haveria demissões e sim transferência de ativos e funcionários, mas a gestão da Eucatex não está aceitando na nova empresa funcionários com mais de dez anos de casa e nós estamos assessorando os funcionários demitidos”, informou o diretor da entidade José Luiz Fernandes.

Em fevereiro, as diretorias da Duratex e Eucatex informaram ao mercado que fariam um acordo para troca de uma fazenda de madeira na região de Capão Bonito pela fábrica de fibra fina da Duratex, com 280 funcionários, e produção estimada em 200 mil m³ por ano.

“Tínhamos a informação de que não ocorreriam demissões dos trabalhadores da unidade. Quem era da unidade iria ser absorvido pela Eucatex, mas isso não está acontecendo. Estamos negociando com a empresa a garantia de emprego daqueles funcionários com mais de dez anos de Duratex e que agora estão sendo demitidos. Acreditamos que esse assunto deva ser tratado no Ministério Publico do Trabalho”, salientou o Sindicato.

Segundo as informações divulgadas pelo Sindicato dos Trabalhadores, a Eucatex quer contratar as pessoas com uma década de empresa, mas não agora. “Eucatex está sinalizando com a contratação dessas pessoas com mais de dez anos de emprego nessa fabrica, mas daqui a seis meses, e nós estamos intercedendo para que não ocorra dessa forma, mas desde já”.

A Eucatex e o Sindicato estão em entendimentos para que seja apontado um caminho conciliador, seguindo os trâmites legais. “Acreditamos que é possível esse entendimento com a Eucatex. Imagino que, tanto eles, como a Duratex, gostariam muito de ter esses funcionários altamente qualificados, com cultura e conhecimento do funcionamento da fábrica. Vamos trabalhar para o entendimento e isso pode acontecer com envolvimento do Ministério Publico do Trabalho”.

Conforme informou o Sindicato da Construção e Mobiliário, na manhã desta terça-feira, 02, foram demitidos 113 trabalhadores. “Pelo que verificamos com os trabalhadores que nos procuraram a Duratex está pagando corretamente os trabalhadores que estão sendo demitidos. O único problema é que havia a promessa de não acontecer demissões e é o que estamos verificando neste momento de transição”.

Eucatex

Por meio da assessoria de imprensa, a Eucatex frisa que “parte dos desligamentos que estão acontecendo são para os colaboradores com mais de 10 anos e foi um acordo entre Duratex e Eucatex. Alguns destes colaboradores poderão ser readmitidos pela Eucatex”. De acordo com a empresa, oitenta desses funcionários demitidos serão reaproveitados na unidade recém-absorvida da Duratex.

“Os desligamentos foram acertados com a Duratex como uma premiação a estes colaboradores pelo tempo de casa uma vez que se eles fossem transferidos direto não receberiam a rescisão. A Eucatex informa que a Duratex operava a fábrica com 260 colaboradores e a Eucatex irá operar com 400. Já está em fase de contração parte dos 80 desligados e mais 140 novos”, finalizou a assessoria.