São Manuel receberá festival de música sacra

Irão se apresentar, o Coral Octocanto e os grupos Entre Irmãos, Ministério Mãe da Misericórdia, Banda Paráclito e Filhos da Promessa

da Prefeitura de São Manuel

No próximo dia 27 de outubro, as 20h30, no Salão Paroquial, a Prefeitura de São Manuel, através da Diretoria de Cultura em parceria com o Coral Octocanto realizará o 1º Festival de Musica Sacra de São Manuel.

Irão se apresentar, o Coral Octocanto e os grupos Entre Irmãos, Ministério Mãe da Misericórdia, Banda Paráclito e Filhos da Promessa, estes acompanhados por instrumentos de harmonia e percussão.

Segundo Arnaldo Catalan, Diretor de Cultura, o Festival terá forte identificação com a cidade.  “A população de São Manuel é muito religiosa e terá a oportunidade de apreciar e aplaudir um tipo de musica muito difícil de executar.  Tenho certeza de que os grupos que se apresentarão irão surpreender pela qualidade vocal e artística”, disse Arnaldo.

OCTOCANTOS

A história do grupo Octocantos está extramente ligada ao Coral São Manuel, que foi formado pelo Pe. José Girardi, missionário da Consolata, que, nos idos dos anos 60, unindo as vozes masculinas do Seminário às femininas da comunidade católica, criou o Coral Paroquial que abrilhantava as cerimônias da Semana Santa, Natal e outras festividades sempre ligadas à Igreja, aproveitando o material trazido pela Congregação. O Coral São Manuel tem sua origem neste coro.

Foi, efetivamente, em 1980, que o Coral São Manuel, tendo à frente as professoras Maria do Carmo de Oliveira Faraco e Amélia Ramos de Oliveira Faraco, que traziam o aprendizado de música transmitido pela família, e com formação já não dependente do desativado Seminário, apresentou a 1.ª Vigília de Natal e, no ano seguinte, o I Concerto de Inverno, com músicas de SchubertMozartBachVerdiLamartine Babo e Pixinguinha, entre outros. Sucederam-lhes, na direção, as professoras Elizabeth M. Nelli Santiago e Marisa Daniel Barbosa Carvalho.

De 1991 a 2003, o Coral esteve sob a regência de Antonio Carlos Martorelli de Lima e atuou em diversas cidades, participando de missas e encontros ou apresentando concertos. No ano de 1998 gravou o CD “Eccho”, com repertório de músicas da Renascença e do período colonial brasileiro.

Um grupo dentro do Coral São Manuel, formou, em janeiro de 2003, o Madrigal Ars Cantandi, com cerca de 18 elementos e executava obras de diversos períodos da história da música, sob a regência de Antonio Carlos Martorelli de Lima. Em junho deste ano, o Madrigal participou da III Mostra Mackenzie de Música Sacra, em São Paulo (SP). O Madrigal Ars Cantandi interrompeu suas atividades há alguns anos.

Em 2015, um grupo de oito pessoas, entre interessados em música, somados a alguns integrantes dos antigos Corais de São Manuel e Madrigal Ars Cantandi, continuando com a regência de Antonio Carlos Martorelli de Lima, formaram o Octocantos. Hoje, o grupo soma dez elementos.

O Octocantos é um grupo independente, não tem recursos próprios e não tem apoio financeiro de nenhuma instituição. Os ensaios são abertos, realizados na Igreja Matriz de são Manuel, às quartas-feiras, local gentilmente cedido pela Paróquia local.

Dentro do mesmo espírito, pretende demonstrar que é possível executar música com alto grau de complexidade com a participação de pessoas da comunidade que não necessariamente sobrevivam desta atividade.

O Octocantos já realizou vários concertos, entre eles, “Canções de Natal”, em dezembro de 2015; “Natal em Tempos e Cantos”, em dezembro de 2016, “Pão da Vida, Sacrifício de amor”, em abril de 2017; “Natal, a Anunciação à Paz”, em dezembro de 2017, e “Pão da Vida, Sacrifício de amor”, em março de 2017 e 2018. Em setembro de 2017, participou do FIC 2017 – Festival Internacional de Corais, Bandas e Congados, em Araxá (MG). Em junho de 2018 integrou as comemoração de aniversário da EE “Dr. Manuel José chaves”, em São Manuel.

O Octocantos preparou um repertório para o Festival de Inverno, incluindo, em sua maioria, músicas da MPB, com arranjo para coro “a cappella” a quatro vozes, o que quer dizer, sem acompanhamento de qualquer instrumento.