A vida é feito poesia: os versos da escritora botucatuense Fabiana Ventura

A obra consiste em uma compilação de escritos em diversos períodos de sua vida na última década

por Flávio Fogueral

A expressão do título representa, facilmente, todos os momentos pelos quais cada um constrói sua história. Emoções, vivências e pessoas. São os registros de pensamentos íntimos, críticas sociais e mais do que isso, inspirar e transformar a vida do próximo. Por isso a literatura se faz presente como arte e reflexão de nós como seres humanos.

Sintetizar em palavras, com a caneta e o papel os sentimentos, foi o que levou a botucatuense Fabiana Ventura trilhar seus caminhos pela literatura. Aos 30 anos, a professora sempre se mostrou entusiasta das rimas, versos, crônicas e boas estórias. “Desde pequena gostava de ler e brincar com as palavras, frequentava quase que diariamente a biblioteca pública de meu bairro, desse modo a literatura entrou em minha vida ainda na infância. Na juventude, mantive o hábito de leitura e fui me interessando cada vez mais pela palavra escrita, aos 17 anos, por incentivo das professoras Adelaide e Marlene, comecei a escrever versos e desde então não parei mais”, salienta. 

A autora é professora e, desde a infância, rascunhava seus primeiros versos

Há dois meses, a escritora lançou seu primeiro livro, “A Vida Feito Poesia” (Canal 6 Editora, 82 páginas), ideia que vinha perdurando desde 2014. A obra consiste em uma compilação de escritos em diversos períodos de sua vida na última década. Foi por este gosto de registrar as palavras, permeadas pela emoção que a obra se caracteriza. A obra, composta por 60 poemas, é dividido em cinco partes: Caminhante, Sinestesia, Eterno e Efêmero, Clamor; e Sem limites. O livro ainda contém ilustrações de Andréia Maressa, que dão o complemento visual às palavras trazidas pela autora.

Como traz pelas páginas da publicação, a poetisa dá, em cada verso, uma partilha de toda a trajetória, seja como mulher, educadora e artista. “Nessa travessia, às vezes há rimas, outras não. É interessante partilhar com as pessoas minhas sensações, meu sentimentos sobre a vida, nesse sentido os leitores têm dado uma boa devolutiva, ou seja, têm comentado o quanto se identificam com os poemas, ou o quanto foram sensibilizadas pelas palavras”, declara Fabiana.

Segundo a artista, o gosto pela literatura foi estimulado desde a infância, ainda quando morava no Distrito de Rubião Júnior. Foi, por meio do pai que teve os primeiros contatos com versos e a musicalidade das palavras. “No que se refere ao gosto pela poesia, esse veio antes do contato com o poema (gênero literário), pois primeiro a poesia me chegou aos olhos, o lugar em que morava era um lugarzinho poético, ou seja, um local propício para apreciar a natureza e sentir a poesia presente em cada ser”, explica.

Foi após estas vivências primárias que os versos surgiram, timidamente, para após tomarem forma em textos e que culminaram em um repertório próprio. “A poesia me chegou aos ouvidos, lembro que meu pai gostava de ouvir moda de viola caipira, fruto do interior, Cururu e Repente, o ritmo simples da terra da gente entoado de um modo profundo, assim tive contato com a poesia cantada”, salienta Fabiana. “Por fim, a poesia me chegou às mãos, a experiência com o poema, a arte da escrita, os versos que me fazem lembrar quem eu sou, é assim que a poesia atravessou e atravessa toda a minha existência”, complementa a poetisa.

A Vida Feito Poesia já está disponível ao público, com a autora promovido lançamentos em cidades do interior paulista como Rio Claro e Bauru. Em Botucatu, Fabiana promoveu diversos saraus, incluindo uma participação no aquecimento do Botucanto, Festival Botucatuense da Canção.

Serviço

A Vida Feito Poesia

Autora: Fabiana Ventura

Editora: Canal 6

Pontos de venda: Livraria Papirus; Revistaria da Vital; Banca do Bosque; e direto com a escritora, através do e-mail: [email protected], ou WhatsApp (14) 99751-6476.