OPINIÃO | Todos os cuidados para curtir uma cachoeira em segurança

Ao contrário de banho em piscinas, o banho em cachoeiras/rios não é controlado, por isso é fundamental a ciência de que há riscos inerentes

por Patrícia Shimabuku*

Com o calor, cachoeiras viram opção para se refrescar, mas é preciso tomar alguns cuidados. Nestes locais a natureza é frágil e precisa ser tratada com cuidado. É impossível realizar o serviço de limpeza como o realizado em nossas casas, por isso, a conservação e proteção destes locais depende exclusivamente do comportamento dos visitantes.

Veja como você pode evitar e minimizar os impactos ambientais e garantir um passeio seguro:

  1. Verifique se o local a ser visitado é público ou particular. Lembre-se o nosso município só possui duas cachoeiras públicas (Cachoeira Véu de Noiva e a Cachoeira da Marta). Se for particular, verifique se o proprietário permite o acesso. Para ambos locais conheça os regulamentos e as restrições existentes.
  2. Verifique a previsão do tempo. Atenção para probabilidade de chuva (e raios). Evite (também) frequentar as cachoeiras se choveu nos dias anteriores (risco de tombos/escorregões na trilha e risco de trauma por deslocamento de pedras e galhos na queda).
  3. Procure frequentar essas áreas em grupo de no mínimo 04 e no máximo 15 pessoas. Grupos menores se harmonizam melhor com a natureza e causam menos impactos. Nunca frequente esses lugares sozinho.
  4. Priorize o silêncio ao percorrer a trilha. Curta os sons da natureza. Músicas, falar alto ou qualquer outro dispositivo sonoro afugentará os animais.
  5. Você é responsável por sua segurança. O sinal de celular nestes locais é fraco ou inexistente e o salvamento é complexo (são poucos os locais de acesso para viaturas de salvamento). Não se arrisque sem necessidade.
  6. Calcule o tempo total que você pretende ficar na cachoeira. Considere sempre retornar antes do pôr do sol. Avise (sempre) amigos e familiares sobre o trajeto e horário de retorno. Essas informações facilitarão o seu resgate em caso de acidente.
  7. Leve sempre um kit com lanterna, alimento, água, protetor solar, repelente, Band-aid®, esparadrapo, Micropore®, gaze mesmo em atividades com poucas horas de duração. Acondicione os itens em uma mochila ou pochete. Procure deixar as mãos livres.
  8. Leve um apito, em caso de acidentes, ele facilitará a localização pela equipe de salvamento. Lembre-se o barulho das águas dificultam a escuta.
  9. Leve uma corda e alguns dispositivos flutuadores como garrafa PET de 2L, isopor e/ou colete salva-vida. Esses itens poderão ser utilizados em caso de afogamento. Nunca entrar na água para socorrer uma possível vítima de afogamento.
  10. Caso você não tenha experiência em atividades recreativas em ambientes naturais, entre em contato com empresas de ecoturismo.
  11. Mantenha-se nas trilhas pré-determinadas. Não use atalhos que cortam caminhos. Os atalhos favorecem a erosão e a destruição das raízes e plantas inteiras. Não quebre ou corte galhos de árvores (não abra novas trilhas).
  12. Traga sempre o seu lixo de volta. Se você pode levar uma embalagem cheia para um ambiente natural, pode trazê-la de volta.
  13. Ao percorrer uma trilha, ou sair de uma área de cachoeira, certifique-se de que elas permaneçam como se ninguém houvesse passado por ali. Remova todas as evidências de sua passagem. Não deixe rastros.
  14. Não queime, nem enterre o lixo. As embalagens podem não queimar completamente, e animais podem cavar até o lixo e espalhá-lo. Traga todo o seu lixo de volta com você.
  15. Utilize as instalações sanitárias que existirem. Caso não haja instalações sanitárias (banheiros) na área, cave um buraco com quinze centímetros de profundidade a pelo menos 60 metros de qualquer fonte de água ou trilhas, em local onde não seja necessário remover a vegetação.
  16. Resista a tentação de levar uma lembrança (mudas de vegetação, animais, etc.) para casa. Tire apenas fotografias, deixe apenas leve pegadas e leve para casa apenas suas memórias.
  17. Não faça fogueiras, as fogueiras matam o solo e poderá colocar em risco a mata e os animais (incêndios).
  18. Não jogue bitucas no chão, além da contaminação ambiental poderá causar incêndios.
  19. Verifique suas condições de saúde e seu condicionamento físico. Gestantes com gravidez de risco ou após 24 semanas de gestação devem consultar o médico obstetra. Visitantes com cirurgia invasiva recente (até 30 dias), epilepsia, histórico de AVC, histórico de infarto ou doenças cardiovasculares, histórico de choque anafilático (anafilaxia), hipertensos deverão consultar o seu médico para realização de atividades em ambientes naturais.
  20. Não frequentar cachoeiras sob efeito de álcool ou drogas.
  21. Utilize roupas apropriadas para atividade. Não utilize chinelos ou calçados abertos.
  22. Evite saltos e mergulhos nas cachoeiras. Pancadas acidentais nas rochas podem ser fatais. Não utilize cipós ou cordas como balanços.
  23. Leve sempre anotado o número das equipes de salvamento: Bombeiro 193, SAMU 192 e GCM 199.

Cachoeira localizada no Bairro Demétria, em Botucatu

Lembre-se ao contrário de banho em piscinas, o banho em cachoeiras/rios não é controlado, por isso é fundamental a ciência de que há riscos inerentes a esses espaços e a adoção de boas práticas de segurança que reduzam de acidentes.

Divirta-se com responsabilidade, preserve sua vida e o meio ambiente (recolha sempre o seu lixo).

*Patricia Shimabuku é farmacêutica industrial, professora e ativista socioambiental.

Para ler todos os artigos da colunista, acesse aqui. 

Sobre Flavio Fogueral