Botucatu fechou 2018 com mais de R$ 3,7 milhões em débitos

A maior parte das dívidas (R$ 2.857.330,30) refere-se à inadimplência com até doze meses de registro de débitos

da Assessoria da ACEB

Mesmo com a recuperação econômica, o número de consumidores com débitos não quitados mostrou-se considerável em Botucatu nos últimos meses, chegando a acumular R$ 3,715 milhões somente no ano passado. Este é o montante registrado na base de dados da Associação Comercial e Empresarial de Botucatu (ACEB) junto com a Boa Vista SCPC.

Nesse contexto, mais de 3440 Cadastros de Pessoas Físicas (CPF’s) apresentaram algum tipo de atraso ou mesmo o não pagamento das dívidas.

A maior parte das dívidas (R$ 2.857.330,30) refere-se à inadimplência com até doze meses de registro de débitos. Os clientes com até vinte e quatro meses de inclusão no sistema da Boa Vista SCPC, foram responsáveis por R$ 593.872,56 em dívidas não quitadas.

Dívidas com até R$ 500 predominam os registros (1.822), gerando R$ 1.385.851,88 em débitos. Dívidas de R$ 1001 a R$ 2 mil representaram 899 negativações, representando R$ 1.385.851,88. No entanto, o maior volume de inadimplência estão em contas acima de R$ 2 mil onde, em 350 inclusões no sistema da ACEB/Boa Vista SCPC, resultaram em R$ 1.289.647,74 sem quitação.

Por gênero, homens ainda são os que mais possuem dívidas não pagas no comércio botucatuense (2.424 registros) frente ao consumidor feminino (1.017). Solteiros detiveram o maior número de débitos não-quitados (3.282) em comparação aos (às) consumidores (as) casados (as), com 159 inclusões ao sistema.

Por faixa etária, os maiores registros ocorrem em consumidores acima dos 50 anos, acumulando R$ R$ 1.503.038,54 nos últimos doze meses, com 1.143 inserções, sendo homens os maiores inadimplentes, com 772 negativações. A segunda maior prevalência de inclusões no sistema da Boa Vista SCPC está entre pessoas de 41 a 50 anos, com total de R$ 1.068.893,56 em débitos com algum tipo de atraso. Novamente, homens são os maiores devedores, com 663 consumidores em atraso.

Os números apresentados pela ACEB representam aumento significativo em comparação com os registros de 2017. Naquele ano, a totalidade de inadimplência em Botucatu foi de R$ 1.271.193,79; onde 1.204 CPFs foram incluídos no sistema de negativação de crédito.

Segundo o presidente da ACEB, Emílio Angella Neto, o contexto econômico nacional, provocado ainda pelo alto índice de desemprego (estimado em 12,4% segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, IBGE), além das instabilidades do mercado em âmbito local; como demissões em indústria e mesmo o impacto do não pagamento do décimo terceiro salário aos mais de 2500 servidores da Unesp.  “Observamos que mesmo com o tímido aquecimento da economia, muitos botucatuenses ainda se mostram com algum tipo de pendência no comércio e empresas de serviços. Estes empreendimentos, por sua vez, estão cada vez mais atentos da necessidade de incluir os devedores no sistema”, frisa.

Segundo Angella, a implantação e solidificação de plataforma digital no site oficial da ACEB (www.acecdlbotucatu.com.br), também facilitou a consulta, inclusão e exclusão de negativação. Hoje, as mais de 500 empresas associadas podem efetuar qualquer uma dessas operações remotamente. “O acesso ao sistema é ininterrupto, sendo que o empresário pode fazer qualquer dos procedimentos diretamente da empresa. Isso proporciona maior segurança na hora de negociar seus produtos ou serviços”, salientou.

As consultas presenciais ao sistema da ACEB/ Boa Vista SCPC podem ser efetuadas de segunda à sexta-feira, das 8 às 18 horas, na Rua Curuzu nº 565.