Prefeitura estima liberar Cascata da Marta em junho; banhistas acessam local mesmo com proibição

Agora, a Prefeitura de Botucatu estima a reabertura do complexo para junho

por Flávio Fogueral

Botucatu é regionalmente conhecida por concentrar grandes atrativos turísticos, principalmente por suas cascatas e cachoeiras. São mais de oitenta locais catalogados onde a natureza torna-se a principal atratividade. Desse total, apenas cinco estão disponíveis para acesso público à visitação.

Uma das mais famosas cachoeiras da região é a Cascata da Marta, no quilômetro 243,7 da Rodovia Marechal Rondon (SP 300). Há dez anos, no entanto, um demorado processo de revitalização tem mudado a infraestrutura do espaço e impedindo, consequentemente a visitação pública. Agora, a Prefeitura de Botucatu estima a reabertura do complexo para junho.

A revitalização custará R$ 1,6 milhão e ocorre com recursos do Fundo de Interesses Difusos (FID). O projeto contempla transformação total na estrutura, a fim de garantir maior segurança e acessibilidade aos visitantes, incluindo pessoas com deficiência (PCD). Para isso, serão implantados iluminação artificial, centro receptivo com salas de audiovisual para acomodar até 40 pessoas, banheiros, área de estacionamento para 44 carros de passeio, 4 ônibus e motocicletas, entre outras atratividades.

Mesmo com proibição, grande quantidade de visitantes vão até a Cascata da Marte

Novo calçamento terá piso intertravado. Em alguns pontos, no entanto, as obras ainda estão inconclusas

Trilhas estão sendo concebidas dentro do parque

Nova plataforma de acesso à cachoeira terá corrimão e trecho mais ameno

Mesmo com proibição, alambrado é aberto por populares que vêm de Botucatu e diferentes cidades da região.

O espaço contará com duas novas trilhas de acesso à cachoeira, sendo uma totalmente adaptada a cadeirantes e pessoas com limitação de locomoção, com piso intertravado. Ambas terão mirantes com vista panorâmica. A trilha de acesso à cachoeira passa por readequação e contará com instalação de acessórios de segurança, degraus regulares e piso de madeira.

As obras estão 60% concluídas, conforme informado por meio de nota emitida pela Secretaria do Verde, responsável pela condução da obra. A pasta informa que teve o aval do Conselho do Fundo de Interesse Difusos (FID) para adiar a reabertura do parque para junho. Os motivos da solicitação não foram informados pela Prefeitura. No entanto, não está descartado tornar a Marta disponível ao público antes do período.

Enquanto isso, o acesso está proibido enquanto as obras não estejam concluídas. Mas isso não é impedimento, principalmente em dias de intenso calor, para que populares entrem nas dependências do complexo e se dirijam à atração principal: a cachoeira da Marta.

Comumente aos finais de semana, é possível encontrar carros de outras localidades, como Conchas, Bofete, São Manuel ou mesmo de cidades mais distantes com placas oriundas da Grande São Paulo. São desde grupos de amigos a famílias (muitas com crianças) que adentram o complexo ao retirar uma pequena porteira que serve de acesso.

Segundo a nota emitida pela Secretaria do Verde, o monitoramento do acesso ao local é feito pela Guarda Civil Municipal, além de instalar placas alertando sobre a proibição da entrada de visitantes e banhistas, enquanto o complexo não é concluído e liberado.