Detentos farão serviços de recuperação estrututal de escolas na região de Bauru

Por meio do programa Via Rápida Expresso, serão pintadas 500 escolas

do Governo de SP

O governador João Doria lançou, na quarta-feira (30/1), o projeto “Escola + Bonita”. A parceria entre as Secretarias da Educação, Administração Penitenciária e de Desenvolvimento Econômico prevê a revitalização de 2.100 escolas estaduais de São Paulo até 2020, com o trabalho de reeducandos do regime semiaberto. Na região de Bauru, 14 unidades de ensino já estão ganhando “cara nova” (veja abaixo).

“A pintura será feita em horários que não interrompam a utilização da escola e com todos os cuidados devidos, como tintas que não têm cheiro, para permitir que no dia seguinte professores, gestores, funcionários e alunos também possam frequentar”, afirmou Doria.

Por meio do programa Via Rápida Expresso, serão pintadas 500 escolas. Neste projeto, os reeducandos participantes serão capacitados e pintarão escolas durante os curso profissionalizante, que é dividido em dois módulos: 25/horas de aulas teóricas e 75/horas de práticas.

Outras 1.600 serão recuperadas graças ao trabalho de presos contratados por meio da Fundação “Prof. Dr. Manoel Pedro Pimentel” (Funap), totalizando 2.100 unidades escolares revitalizadas.

Todas outras escolas que apresentarem a necessidade de reparos serão atendidas pela Secretaria da Educação do Estado de São Paulo. “A gente sabe que o impacto de estar em uma sala de aula, em uma escola organizada, limpa e bonita, efetivamente, afeta direto no aprendizado. Qualquer um de nós que não esteja em um bom ambiente de trabalho vai produzir menos, por que isso não iria acontecer também com nossos estudantes e professores? E isso é transformador”, destaca o secretário de Educação, Rossieli Soares da Silva.

Além de recuperar prédios públicos e contribuir para oferecer melhores condições de ensino, o programa ainda permite que os reeducandos possam sair com uma profissão após o cumprimento de pena – com essa qualificação, eles podem trabalhar como pintores profissionais.

“O Estado tem à disposição uma mão de obra qualificada e de reduzido custo. E oferecemos uma oportunidade para que esses reeducandos, no término do cumprimento da pena, saiam em liberdade com uma qualificação e não retorne ao sistema prisional”, declarou o secretário de Administração Penitenciária, Coronel Nivaldo Restivo.

REGIÃO DE BAURU

Em Bauru, seis escolas públicas estão recebendo nova pintura por meio da mão de obra de 200 reeducandos dos Centros de Progressão Penitenciária (CPPs 1, 2 e 3) da cidade.

Outras oito escolas de municípios da região (Jaú, Pirajuí, Lins, Álvaro de Carvalho, Marília e Ourinhos) também estão sendo reformadas. Confira lista completa na tabela abaixo: