Bolsonaro anuncia retirada de cartilha sobre saúde sexual de adolescentes

Ele sugeriu ainda que os pais rasguem as páginas da cartilha com as ilustrações que ele julga inadequadas

da Rede Brasil Atual

O presidente Jair Bolsonaro afirmou ontem (7), em transmissão ao vivo pelo Facebook, que vai retirar informações sobre educação sexual que atualmente compõem a “Caderneta de Saúde do Adolescente”, impressa pelo Ministério da Saúde e dirigida a meninas e meninos entre 10 e 19 anos. Ele sugeriu ainda que os pais rasguem as páginas da cartilha com as ilustrações que ele julga inadequadas e que aguardem um novo material que já está sendo preparado. As afirmações foram imediatamente criticadas por especialistas.

Durante a live, o presidente exibiu desenhos da cartilha que explicam como usar e descartar a camisinha masculina e como as adolescentes devem manipular a camisinha feminina. Bolsonaro também mostrou para a câmera um desenho da genitália feminina mostrando suas divisões, acompanhada de um texto que detalha como deve ser feita sua higiene íntima.

Bolsonaro ainda criticou as páginas da cartilha que falam sobre a descoberta da sexualidade na adolescência e destacou que o material foi produzido pelo “governo Dilma Rousseff e foi impresso ‘em grande quantidade'”.

“São 40 páginas, tem muitas informações boas, precisas, mas o final dela fica complicado, no meu entendimento”, disse o presidente, ao lado dos generais Otávio Rêgo Barros, porta-voz do governo, e Augusto Heleno, chefe do Gabinete de Segurança Institucional.

Em seguida, informou que debateu o assunto com o ministro da Saúde, Luiz Mandetta, e que seu governo vai produzir uma nova cartilha sobre a saúde de meninas: “Expus o problema e então a solução, a decisão que ele tomou: vai fazer uma nova cartilha, com menos páginas, mais barata, sem essas figuras aqui no final, e vamos rapidamente distribuir, recolher essas anteriores.”