Comerciantes iniciam controle de acesso ao estacionamento do Mercadão

Ao todo, o Mercadão disponibiliza mais de trinta vagas públicas

por Flávio Fogueral

Frequentadores do Mercado Municipal “Progresso Garcia” foram surpreendidos, no sábado (23), com novas regras para o estacionamento de veículos no local. A permanência será controlada, exclusivo aos consumidores que comprovarem as compras nas lojas instaladas.

A novidade vem quase dois anos após a entrega da revitalização do espaço, que custou em torno de R$ 1,92 milhão aos cofres públicos. Segundo relataram alguns motoristas, os mesmos eram alertados de que o estacionamento só poderia ocorrer caso os tíquetes que eram distribuídos fossem carimbados nos estabelecimentos instalados no mercado.

Ao todo, o Mercadão disponibiliza mais de trinta vagas públicas (incluindo as preferenciais e as de carga e descarga) em seu estacionamento interno, número que foi ampliado com a revitalização do espaço, em 2016. Nas ruas do entorno (Rangel Pestana e Monsenhor Ferrari), não há a incidência de cobrança de Zona Azul, como ocorre em outras vias na proximidade. Com isso, encontrar uma vaga nestas vias exige paciência dos frequentadores do mercado.

Por meio de nota oficial, a Prefeitura de Botucatu salientou que o controle de acesso foi iniciativa que partiu dos próprios comerciantes instalados no Mercadão. A ação, segundo posicionamento do Poder Público, deveu-se “a incômodo que a utilização do estacionamento por motoristas que não utilizam os serviços oferecidos pelo mercado”, para escapar do pagamento de Zona Azul nas ruas adjacentes.

“Este controle não prevê multa ou qualquer sanção, apenas orientação aos que desejarem utilizar o estacionamento. A Secretaria do Verde se reunirá com estes comerciantes a fim de avaliar novas medidas no local”, frisou a nota encaminhada pela Prefeitura de Botucatu.

Revitalização do Mercadão custou R$ 1,92 milhão

Inaugurado em 1962, o Mercado Municipal de Botucatu passou por um grande processo de revitalização, tendo sua primeira etapa entregue em setembro do ano passado. O prédio, com 2.375,78 m² de área construída, recebeu investimento de R$ 1.962.501,65, por meio de empréstimo firmado entre Prefeitura e a Desenvolve SP, agência de fomento e desenvolvimento atrelada ao Governo do Estado.

O início das obras ocorreu em 2015 e consistiu na otimização dos espaços, criação de boxes maiores, praça central de alimentação, ampliação dos banheiros, instalação de elevadores para garantir acessibilidade, melhoria no acesso e estacionamento, criação de um novo mezanino com salão aberto que permitirá ao espaço receber eventos artístico-culturais. As características originais do prédio foram preservadas.

Houve modernização dos sistemas de hidráulica, elétrica, esgoto, telefonia, informática, revestimento e piso. O piso inferior abriga todo o setor de hortifruti, enquanto o piso superior foi reformulado para receber uma ampla praça de alimentação.

A reforma ainda aguarda a implantação de uma agroindústria no local com recepção, vestiário, sala de recepção de matéria prima, sala de processamento e expedição. Esta etapa do projeto ainda está em andamento.