Botucatu teve ato contra a Reforma da Previdência

Entre as principais críticas estão o aumento da idade mínima de aposentadoria

por Flávio Fogueral

A proposta de reforma da Previdência apresentada pelo governo Bolsonaro motivou protestos em todo o país nesta sexta-feira, 14. Botucatu integrou a agenda nacional de mobilização com ato realizado na Praça Emílio Pedutti (Bosque) e passeata pela Rua Amando de Barros.

O grupo formado por estudantes, sindicatos, movimentos sociais, funcionários públicos e apoiadores distribuiu panfletos a populares no Centro de Botucatu e também fizeram ampla discussão pública acerca ao assunto. Após a concentração na Praça do Bosque, o grupo percorreu trechos da Rua Amando de Barros e terminou o ato em frente a Catedral Metropolitana. 

Entre as principais críticas estão o aumento da idade mínima de aposentadoria, de 62 e 65 anos para mulher e homens, respectivamente, além do sistema de capitalização, que ainda não está definido, mas que poderia extinguir a função do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Também seria ampliado o tempo de contribuição e outros pontos.

A Reforma da Previdência está em análise atualmente pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados. A proposta tem recebido alterações e deve ser apreciada pelo Congresso no segundo semestre. O governo federal a considera crucial e alega economia de até R$ 1 trilhão em uma década, caso a mesma seja aprovada.

Assista a um trecho da manifestação: