Colino cobra ações para atrair empresas aos Distritos Industriais

De acordo com o vereador, o município precisa agir de maneira efetiva para suprir as demandas

da Câmara de Botucatu

Os momentos de crise pelos quais o país enfrenta há alguns anos ligaram o sinal de alerta no vereador Izaias Colino [PSDB], que por meio de dois requerimentos, demonstrou interesse especial na área industrial, cobrando informações a respeito da entrega do novo distrito, bem como do número de empresas interessadas em uma área no local. Os pedidos foram aprovados pelos demais legisladores.

Na primeira demanda, Colino destaca ter sido procurado e recebido informações que mais de uma centena de empresários gostariam de se instalar em Botucatu ou ampliar suas instalações, gerando assim mais empregos e alavancando a economia e por isso, cobrou do atual secretário de Desenvolvimento Econômico, Emprego e Renda, Junot de Lara Carvalho, informações sobre o número das empresas que protocolaram oficialmente o pedido de terreno industrial para novas ou para aquelas que forem ampliar as suas instalações.

No segundo pedido, o vereador destaca que há um certo tempo o Poder Executivo anunciou o início das obras do Distrito Industrial IV e a implantação da referida área é esperada por muitos empresários que aguardam a possibilidade de receberem doações de espaços na localidade. A implantação do mesmo, seria uma forma incisiva de auxiliar na geração de empregos. Por isso, Colino cobra do prefeito municipal, Mário Pardini, informações a respeito da previsão de entrega da estrutura, bem como informar quantos lotes estarão disponíveis para doação.

De acordo com o vereador, o município precisa agir de maneira efetiva para suprir as demandas existentes. “Nossa cidade carece de novos postos de emprego, uma vez que, apesar das instalações futuras de empreendimentos que voluntariamente procuraram a cidade, temos pouca oferta de empresas querendo se instalar no município. Essa situação só pode melhorar se o Poder Público puder ser atrativo na captação de novas empresas, o que certamente geraria novos postos de emprego”, justifica Izaias Colino.