Eu ainda existo, eu ainda sou

Acordar cedo, fazer o café, varrer a calçada, cumprimentar as crianças vizinhas que saem para ir à escola

por Nelson Ferreira Junior*

Acordar cedo, fazer o café, varrer a calçada, cumprimentar as crianças vizinhas que saem para ir à escola, ligar a tevê, assistir a programas ao estilo Ana Maria Braga, ligar o rádio, desligar o rádio, fazer o almoço, descansar dez minutos, arrumar a casa, fazer café, varrer a calçada novamente, tomar banho, ligar a tevê, ver os Datenas se aproveitarem da desgraça de outros para ter audiência, ver o Jornal Nacional e acreditar no mundo criado pela emissora, fazer o jantar, jantar, ver a novela, tomar um chá e dormir… Acordar cedo, fazer o café, varrer a calçada, cumprimentar as crianças vizinhas que saem para ir à escola…

Dona Francisca já não tem mais forças para tentar um emprego, para tentar um trabalho que a faça sentir-se útil à sociedade… Sociedade esta que impede Francisca de existir, de ser… São 60 anos de idade… Ainda lhe restam mais “longos” anos de “Acordar cedo, fazer o café, varrer a calçada, cumprimentar as crianças vizinhas que saem para ir à escola, ligar a tevê, assistir a programas ao estilo Ana Maria Braga, ligar o rádio, desligar o rádio, fazer o almoço…”.

*Nelson Ferreira Junior é professor. 

Para ler os demais artigos deste colunista, acesse o hotsite de artigos do Notícias. Os artigos assinados não refletem necessariamente a opinião do site.