Casos de sarampo aumentam em São Paulo

Três em cada quatro casos foram registrados na capital, onde foram notificados 484 casos no ano

da Agência Brasil

O número de casos confirmados de sarampo este ano em todo o estado de São Paulo subiu para 633, conforme balanço divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo. O balanço inclui dados contabilizado até esta terça-feira (30). Três em cada quatro casos foram registrados na capital, onde foram notificados 484 casos no ano.

O último balanço divulgado pela secretaria trazia dados até o dia 17 de julho e registrava 484 casos de sarampo em todo o estado.

Por isso, a campanha de vacinação contra o sarampo continua em curso na capital e em 14 cidades da Grande São Paulo. O objetivo é vacinar jovens e adultos entre 15 e 29 anos. A meta é vacinar 4,4 milhões de pessoas até o dia 16 de agosto. Desde o dia 10 de junho, apenas 799,9 mil pessoas dessa faixa etária foram imunizadas na região.

Postos de vacinação volantes contra o sarampo foram montados em 12 linhas de trem e metrô da capital paulista e também no Terminal Metropolitano de São Mateus. Esses postos vão funcionar até sexta-feira (2).

A vacina tríplice viral protege contra sarampo, rubéola e caxumba. Há contraindicação para gestantes e imunodeprimidos, como pessoas submetidas a tratamento de leucemia e pacientes oncológicos.

O sarampo é uma doença infecciosa aguda, provocada por vírus, grave e transmitida pela fala, tosse e espirro. A doença é extremamente contagiosa, mas pode ser prevenida pela vacina. O sarampo caracteriza-se principalmente por febre alta, dor de cabeça, manchas vermelhas no corpo, tosse, coriza, conjuntivite e manchas brancas na mucosa bucal.