Tarifa do transporte coletivo passará a R$ 3,55 a partir de domingo (11)

O reajuste a ser aplicado ao usuário é de 5,97%, tendo por base custos variados como combustíveis e salários

por Flávio Fogueral

Usuários do sistema de transporte coletivo pagarão a mais pelo uso dos ônibus em Botucatu. A tarifa de viagem passará dos atuais R$ 3,35 para R$ 3,55 a partir da zero hora de domingo (11). O reajuste, já publicado no Semanário Oficial do Município, foi definido pelas duas empresas concessionárias após a Prefeitura de Botucatu obter autorização, em julho, para continuar com o subsídio nas passagens.

Pela solicitação original, as duas empresas que operam no sistema de transporte coletivo (Stadtbus e Reta Rápido) apresentaram valor de tarifa em R$ 3,90. O reajuste a ser aplicado é de 5,97%. Valores foram calculados por base em tabelas de custos onde foram analisados itens como salários de funcionários, combustíveis, manutenção de veículos, entre outros aspectos, e a incidência inflacionária do último ano, cravada em 3,75% . 

Estudantes, idosos acima de 60 anos e guardas mirins pagarão R$ 1,77. Para quem tem crédito no cartão de transporte coletivo, a tarifa a ser cobrada continuará em R$ 3,35 pelo período de trinta dias ou até a próxima recarga. 

Com a autorização, por parte da Câmara Municipal, para que a Prefeitura continue a se utilizar do Fundo do Transporte Coletivo- oriundo do pagamento de outorga de exploração das linhas pelas empresas concessionárias-, haverá o subsídio público de R$ 0,35 por passagem, conforme estabelecido em Lei.

A atual tarifa, de R$ 3,35, está em vigor desde janeiro de 2016, quando o então prefeito João Cury Neto decidiu romper unilateralmente o contrato de prestação de serviços, após série de incidentes como quebras e constantes atrasos nos trajetos dos ônibus. Ao assumir a Prefeitura, Mário Pardini decidiu  usar o Fundo do Transporte Coletivo, por dezoito meses, a fim de garantir os valores atuais. Neste meio tempo as concessionárias reverteram na Justiça o cancelamento dos contratos. Ocorreram somente reajustes pontuais para reparação das perdas inflacionárias.

Tanto Stadtbus quanto Reta Transportes alegam desequilíbrio financeiro e repassaram, em 2018, os custos à Prefeitura. Segundo as empresas, “o reajuste é um mecanismo previsto no edital e no contrato, que independe de solicitação”

O atual sistema de transporte público consiste em 43 linhas operantes em dois blocos distintos, que não concorrem entre si. Dados contidos no site da antiga Semutran, atualmente vinculada à Secretaria de Infraestrutura, apontam que somente em maio foram transportados 647.265 passageiros (não sendo viagens únicas), sendo 122.134 pessoas com direito à gratuidade integral (idosos acima dos 60 anos, deficientes e agentes dos Correios). 

Pelo sistema de integração, as empresas transportaram 47.440‬ passageiros no mês de maio. Ainda, 74.696‬ das viagens foram cobradas em sistema de passe-estudante e 14.677 tiveram desconto de 50%. Os dados constam no site oficial da Secretaria Municipal de Infraestrutura e da Semutran.