Campanha contra o câncer de pele identificou 74 casos positivos em Botucatu

O câncer de pele é o tipo de câncer mais comum no país

da Assessoria do HCFMB

No sábado, 7 de novembro, durante todo o dia, foi realizada no Centro de Saúde Escola, em Botucatu, mais uma edição da Campanha de Combate ao Câncer de Pele. A ação contou com a participação de profissionais do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB), além de professores e alunos da Faculdade. Foram atendidos 700 pacientes e foram identificados 74 casos positivos para câncer de pele, sendo quatro melanomas. Os casos cirúrgicos serão resolvidos em um mutirão que será realizado nos dias 7, 8 e 9 de dezembro de 2015 no HCFMB.

O câncer de pele é o tipo de câncer mais comum no país e ocorre quando há um crescimento anormal e descontrolado das células que compõem a pele. No Brasil, segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca) no biênio 2014/2015, é estimada a ocorrência de mais de 182 mil novos casos da doença. 268968_556395_12208845_1096953746982726_1181120074861788875_n_web_

Na campanha de 2014, foram atendidas cerca de 700 pessoas, sendo que foram diagnosticados 55 casos de câncer de pele. Geralmente, a prevalência de diagnóstico é do carcinoma basocelular (CBC), que é o tipo mais comum da doença. Já o melanoma é mais raro e agressivo.

Como prevenir o câncer de pele

Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), alguns cuidados simples ajudam na precaução do câncer de pele. Veja as sugestões:

Usar chapéus, camisetas e protetores solares.

Evitar a exposição solar e permanecer na sombra entre 10 e 16h (horário de verão).

Na praia ou na piscina, usar barracas feitas de algodão ou lona, que absorvem 50% da radiação ultravioleta.

Usar filtros solares diariamente, e não somente em horários de lazer ou diversão. Utilizar um produto que proteja contra radiação UVA e UVB e tenha um fator de proteção solar (FPS) 30, no mínimo. Reaplicar o produto a cada duas horas ou menos, nas atividades de lazer ao ar livre.

Observar regularmente a própria pele, à procura de pintas ou manchas suspeitas.

Consultar um dermatologista uma vez ao ano, no mínimo, para um exame completo.

Manter bebês e crianças protegidos do sol. Filtros solares podem ser usados a partir dos seis meses.