Para sindicato, comerciantes que abrirem lojas até 22 horas estão amparados pela lei

Durante o debate, diversos empresários manifestaram sua preocupação com a retração causada pela crise no comércio

da Assessoria

A União ACE/CDL de Botucatu promoveu e sediou na noite da última quinta-feira, 19, mais um debate, desta vez entre a presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Botucatu e Região (Sincomércio), Fátima Baldini e empresários do comércio da cidade. "Reforço que a nossa associação não tem poder de decisão, mas a pedido dos associados temos a responsabilidade de intermediar as negociações", reafirmou o presidente da União ACE/CDL Botucatu Luiz Rogério Peres. 

A líder dos empresários do comércio respondeu a diversas questões e afirmou que todos os lojistas que abrirem suas lojas até às 22 horas nos dias que antecedem o Natal, estarão amparados pela Convenção. "Nossa Convenção ainda está em vigência até que se assine outra. Isto está no parágrafo 48 da lei", pontou Fátima. 

Durante o debate, diversos empresários manifestaram sua preocupação com a retração causada pela crise no comércio. "O comércio reduziu o seu faturamento e não tem condições de conceder este aumento. Se tivéssemos uma maior comunicação com o Sincomércio, teríamos mais segurança para resolver esta situação", criticou Vagner de Oliveira Rosa, proprietário das lojas Algodão Doce. 

Outra proposta exposta pela presidente, foi sobre o remanejamento de folgas dos funcionários. "O funcionário pode trabalhar seis dias e folgar um, vocês podem negociar esta folga entre segunda e quinta-feira, ou como eles preferirem", destacou 

De acordo com o Sincomércio, segundo a Lei 5.593 de 27 de maio de 2014 os lojistas estão livres para abrirem suas lojas no dia 26 de dezembro, desde de que os direitos dos funcionários sejam respeitados. 

Primeiro debate

No último dia 10, foi realizado um debate, mas com o presidente do Sindicato dos Funcionários no Comércio de Botucatu (Sincomerciários), Carlos Negrisoli.

Na ocasião, o líder dos empregados no comércio respondeu a questões sobre o calendário de final de ano e folga para funcionários. Relativo ao índice de inflação acumulada de setembro de 2014 a agosto 2015, ele havia proposto reajuste salarial de 9,88%.