Revitalização da Rua Amando até a Visconde do Rio Branco pode ficar para próximo Prefeito

O fluxo no primeiro quarteirão a receber obras deve começar a ser liberado na quinta-feira (5)

por Sérgio Viana

Eliane Moraes, há 23 anos, tem um comércio no primeiro quarteirão submetido às obras de revitalização da Rua Amando de Barros, desde sábado (30), entre as ruas Coronel Fonseca e Velho Cardoso. Com mais de duas décadas dedicadas a sua loja de roupas femininas, Eliane se sente animada com o projeto: “Eu não vi o layout, mas eu fiquei sabendo e gostei do que falaram. Uma calçada maior que a outra, estacionamento apenas de um lado. O nosso Centro precisa ser melhorado”.

AndrePeres

Sec. André Peres – foto Flavio Fogueral

Entre as autoridades, a previsão é de que até setembro – ou novembro – uma Rua Amando de quarteirões com calçadas e pista de rolamento de veículos alargadas, piso padronizado, bancos, floreiras, rampas de acessibilidade e lixeiras esteja entregue. Pelo menos no trecho entre o Largo do Paratodos e a Praça Com. Emílio Pedutti (do Bosque). “Nós sabemos que no final do ano há o período do Natal, onde deveremos diminuir qualquer transtorno ao comerciante”, afirma o secretário de Obras e de Mobilidade Urbana, André Peres, que acredita a obra trará ainda mais a população ao primeiro centro de comércio de Botucatu.

Sobre a obra – “Na segunda e terça-feira nós iniciamos a implantação do novo traçado da Rua Amando de Barros, que seria as guias, para a partir de quinta-feira começar a liberar o passeio”, diz Peres. A parte mais ‘pesada’, que envolve a retirada de todo o calçamento e guias dos quarteirões e a sua interdição completa, deverá ser sempre feita aos fins de semana, no sábado após as 17h e domingo o dia todo, juntamente com o serviço de compactação da fiação elétrica.

JoaoCury

Prefeito João Cury (PSDB) – foto Flávio Fogueral

No inicio da semana as guias começam a ser colocadas e a rua deverá ganhar seus novos limites para pedestres e veículos. De acordo com o prefeito de Botucatu, João Cury Neto (PSDB), cada quarteirão deve ficar pronto no máximo entre 15 ou 20 dias. “Nós vamos mexer em coisas que provavelmente há 40 ou 50 anos não se mexe, por isso podemos encontrar surpresas. Mas espero entregar a obra completa até o final do ano”, frisa Cury.

Sobre a falta de vagas para carros, a comerciante Eliane, entrevistada no inicio da reportagem, parece não se importar. “Realmente [menos vagas de estacionamento] faz falta. Mas o principal que está faltando é uma rua onde as pessoas não se batam na calçada. Ainda tem as travessas, as ruas de cima (João Passos e Cardoso de Almeida), porque ninguém tem vagas mesmo, só as lojas com estacionamento. Faz 23 anos que eu estou aqui [com a loja], eu acho que só vem a melhorar”.

Após o adiamento das obras por conta de um abaixo-assinado feito por comerciantes, principalmente contra a perda de vagas de estacionamento, João afirmou ter realizado novas rodadas de conversas e tido aprovação de 88% deles para o inicio do projeto, da forma que foi concebido originalmente. “Ou seja, subtraindo uma parte do estacionamento para ampliar o passeio público e melhorar a mobilidade e acessibilidade do pedestre. Quem faz o comércio é o consumidor e nesse projeto a gente privilegia o consumidor que caminha na Rua Amando. Uma obra como essa humaniza a Rua Amando, pra quem caminha, convive e trabalha nela”, argumentou o Prefeito.

“Eu acho possível que a gente dê opções de extensão das áreas com parquímetro próximas à Rua Amando. Isso vai ser estudado, não tem prazo”, disse Cury, sobre a diminuição de vagas para estacionamento de carros.

Expectativas – “Eu tenho 30 anos de balcão na Rua Amando, o pessoal sempre pediu por mudança, pela revitalização. Você vai ver agora como é que as fachadas vão ficar, todo mundo vai investir”, declarou Fátima Baldini, presidente do Sindicado do Comércio Varejista (Sincomércio) de Botucatu. Para ela, a revitalização era algo tão ansiado pelos botucatuenses, quanto a construção do primeiro shopping da cidade. “Agora, nós temos que unir esforços para que isso possa terminar o mais rápido possível”.

Sec. Zorzella - foto Flávio Fogueral

Sec. Zorzella – foto Flávio Fogueral

Antonio Zorzella Neto, Secretário Adjunto de Comércio e Serviços, gostaria que a revitalização fosse feita até o cruzamento com a Rua Visconde do Rio Branco, até novembro, ou a obra ficará a cargo de uma nova gestão municipal. “Ainda há a possibilidade de chegar até o décimo quarteirão neste ano, senão ficará para a próxima administração que assumir em janeiro do ano que vem. O que inclusive deverá ser um compromisso, visto o que já foi realizado”, comentou Zorzella.

Deixe uma resposta