Partidos Políticos? Para quê?

No Brasil, temos 35 partidos, em Botucatu 29, é muito? Pode ser?

por José Everaldo Rocha*

Hoje vamos falar um pouco sobre Política Partidária. Há várias formas de se fazer Política, aliás, tudo na vida é Política, desde o momento em que nascemos, o choro do bebê é um ato político, talvez um ato de protesto por sair de um local até então cômodo. A pessoa humana faz política em seus meios sociais diariamente: família, escola, trabalho, igreja, clube, etc.

Vemos atualmente no Brasil e em nosso município pessoas participando de diversos atos políticos, tanto do lado da Esquerda, como da Direita. Alguns só no “oba oba”, na “onda”, mas muitos com uma consciência política boa, defendendo um dos lados.

O que acho interessante é que muitos destes participam de movimentos, associações, frentes, sindicatos, movimentos religiosos, etc…, mas quando falamos em política partidária, as pessoas “arrepiam”, ou seja, não querem participar. Ora, por que será que isso acontece? Não podemos negar que o sistema político partidário atual, está desgastado e é urgente uma verdadeira Reforma Política, temos também uma campanha grande de setores da sociedade, demonizando a política partidária. E hoje fica mais fácil, fazer esta desqualificação da política, através das redes sociais.

Mas, creio eu, que as pessoas que tem uma consciência política, têm esse discernimento para separar o joio do trigo. Então, por que não participar de partidos?

Sim, há muitas maneiras de transformar a sociedade, podemos transformar participando de diversos segmentos, porém, no sistema atual de nossa República, o poder final de decisão, a famosa “canetada”, são dos políticos eleitos, através de algum partido.

Entrar em um partido, não significa que você tenha que ser candidato há algum cargo público, mas é no partido (pelo menos em alguns), que você participa diretamente de decisões que irão orientar os que se elegerem há fazer projeto que beneficie toda a população.

No Brasil, temos 35 partidos, em Botucatu 29, é muito? Pode ser? Creio que com uma reforma política, isso possa ser discutido e revisto.

Antes de entrar em um partido, procure saber o que diz seu estatuto, para ver se está coerente com seu pensamento.

Há muitos partidos de “aluguel”, que serve só para acomodar e ajudar os outros maiores, isso é ruim, é famosa negociação politiqueira. Mas, também há alguns poucos partidos, tanto de esquerda, quanto de direita, que são coerentes e realmente defende os seus princípios. Sou de esquerda, mas respeito os que realmente são de direita e não ficam se vendendo ou pulando de um lado para outro. Admiro as pessoas que tem um lado.

Para encerrar, segue um texto de Bertolt Brecht escrito há mais de 60 anos e que ainda está atual nos dias de hoje.

O Analfabeto Político
O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas. O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política. Não sabe o imbecil que, da sua ignorância política, nasce a prostituta, o menor abandonado, e o pior de todos os bandidos, que é o político vigarista, pilantra, corrupto e lacaio das empresas nacionais e multinacionais.”

A verdadeira missão da Política Partidária é fazer o Bem Comum para Todos! POLÍTICA é a arte de viabilizar sonhos coletivos em realidade.

Até semana que vem!

*José Everaldo da Rocha é Metalúrgio e Presidente do PT Botucatu

**Os artigos dos colunistas não traduzem a opinião do Notícias.Botucatu

Deixe uma resposta