Juiz eleitoral aceita denúncia que pede cassação de candidatura de Mário Pardini

Caso será analisado pelo Ministério Público Eleitoral. Ação refere-se a suposto abuso de poder econômico e político

por Flávio Fogueral e Sérgio Viana

Eleito nas urnas no domingo, 2 de outubro, com 39.045 votos, Mário Pardini (PSDB) ainda terá de responder a alguns fatos ligados a sua campanha eleitoral. O juiz eleitoral Josias Martins de Almeida Júnior acatou, na noite de quarta-feira (5) denúncia protocolada pela coligação Renova Botucatu, do vereador Reinaldinho (PR) e que pede a cassação do registro do prefeito eleito.

O processo nº 0001086-37.2016.6.26.0026, protocolado dia 28 de setembro junto à 26ª Zona Eleitoral (que compreende os municípios de Botucatu, Itatinga e Pardinho), teve seu despacho enviado ao Ministério Público Eleitoral. Com isso, o MPE, por meio do promotor Eduardo José Daher Zacharias, se manifestará sobre o caso – com possibilidades de audiências – e por fim, caberá ao juiz eleitoral deferir a sentença. A defesa de Mário Pardini apresentou ontem representação à Justiça.

– A coligação Botucatu Mais Forte refutou as acusações

Processo agora será analisado pelo Ministério Público Eleitoral

Processo agora será analisado pelo Ministério Público Eleitoral

A denúncia ocorreu após o uso de imagens de visitas de Pardini – então pré-candidato do PSDB – a obras promovidas pela atual gestão municipal, do seu colega de partido e principal cabo eleitoral João Cury Neto, entre elas o prédio do antigo Fórum, que seria a Pinacoteca. As visitas ocorreram no dia 7 de junho. Na ocasião, o candidato tucano teria usado imagens de sua visita na página oficial da campanha, no Facebook.

Há, ainda, outro processo, de nº  0001085-52.2016.6.26.0026, que também trata de abuso de poder econômico e de autoridade contra Mário Pardini, também protocolada dia 28 de setembro pela coligação Renova Botucatu. Tal ação encontra-se em análise pelo juiz eleitoral e deve ser encaminhada ao MPE.

Se as decisões mostrarem-se favoráveis a Pardini; ele assume, às 9 horas de 1º de janeiro de 2017, como novo prefeito de Botucatu. Caso o juiz eleitoral aceite a denúncia e indefira os recursos de defesa de Mário Pardini, caberá recurso aos Tribunais Regional (TRE-SP) e Superior Eleitoral (TSE). Em derrota também na última instância, será realizada nova eleição em Botucatu. Isso porque, com as novas regras eleitorais, o segundo colocado não assume mais o cargo de prefeito. Contudo, o caso não tem prazo limite para julgamento. A diplomação de Pardini como prefeito está prevista para 19 de dezembro.

Relembre o caso: 

Suposto abuso de poder político e econômico gerou pedido de cassação da candidatura de Mário Pardini

 

 

Deixe uma resposta