Unesp forma sua 49ª turma de Medicina

O currículo é dividido nos três ciclos: básico (1ª e 2ª séries), profissionalizante (3ª e 4ª séries) e internato (5ª e 6ª séries).

da Assessoria da Unesp

As mensagens estampadas nas faixas e cartazes homenageando os formandos sinalizavam que o início da noite de quinta-feira, 26 de janeiro, seria inesquecível para os novos médicos que colavam grau naquele momento. E inesquecível também para os pais, familiares, amigos e convidados que prestigiaram a solenidade de colação de grau da 49ª turma de medicina da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB).
Realizada no Espaço na Mata, a cerimônia contou com a presença de diretores e membros da Congregação da FMB, autoridades de Botucatu, professores, familiares e amigos dos novos médicos.
Discursos
Em seu discurso, o diretor da FMB, professor Pasqual Barretti, fez um agradecimento aos formandos em razão da escolha que fizeram de cursar a graduação na Instituição. O dirigente ressaltou ainda a importância da relação médico-paciente e o relevante papel desempenhado por professores, servidores técnico-administrativos e médicos residentes na formação dos novos médicos. Segundo ele, os profissionais que exercem a medicina são “agentes de construção de uma sociedade mais justa e fraterna”.
Escolhida como oradora da 49ª turma de Medicina, Joyce Saori Ikedo, classificou os seis anos de graduação como um período “bem intenso”. De acordo com ela, a partir de agora (após a formatura) “a vida será diferente, os objetivos serão diferentes”.
A médica recém-formada também lembrou o apoio que os estudantes receberam, durante toda a graduação, da família e amigos. Segundo Joyce, as experiências, vivências e dificuldades puderam ser vencidas com esse respaldo. “Tudo isso fez crescer entre nós um laço tão forte que tenho certeza que levaremos para sempre”, complementou.
O patrono da turma, professor José Roberto Fioretto, fez uma referência aos pais dos novos médicos, dizendo que eles foram a sustentação e o ombro amigo dos formandos em todas as horas. “Devemos aproveitar esta oportunidade única para agradecê-los pelo amor e pelas inúmeras demonstrações de carinho ao longo da vida de vocês (formandos)”, disse. Fioretto ressaltou que a partir de agora os novos médicos têm a missão de exercer a medicina. “Sejam humildes e conversem com seus pacientes, ouvindo suas queixas com atenção… Eles (pacientes) jamais serão indiferentes a quaisquer de suas palavras ou quaisquer de seus atos”, complementou.
Escolhida pela 49ª turma como paraninfa, a professora Joelma Gonçalves Martin fez um discurso bastante emocionada. Ela lembrou que os formandos cumpriram uma importante etapa da carreira concluindo a graduação com esforço próprio e com alguns parceiros, que, segundo ela, os novos médicos “não podem se esquecer”. A docente relembrou algumas experiências vividas com os alunos e seus familiares no decorrer dos últimos anos. “Nossas vidas ficaram amarradas”, afirmou. Ela encerrou seu discurso dizendo que a partir de agora os novos profissionais da área médica devem assumir a responsabilidade que a profissão exige. “Voem muito alto e sejam muito felizes”, finalizou.
A coordenadora do curso de medicina da FMB, professora Jacqueline do Socorro Costa Teixeira Caramori, falou, no início de seu discurso, sobre a responsabilidade do corpo docente da Instituição no processo de formação profissional dos alunos. “Só quem vive o dia a dia das escolas, certezas e as incertezas, os avanços e os recuos sabe o quanto essa missão tem sido extremamente complexa”, lembrou. A docente lembrou que o processo de formação dos novos médicos tem de continuar. “Mantenham uma visão crítica que possa levar vocês a uma prática médica na dimensão que nossa sociedade precisa: uma prática humana, amparada, honesta…Continuem fazendo o necessário por aqueles que vocês atenderão. Ouvir, sentir, tocar e compartilhar as angústias dessas pessoas”, frisou.
Formatura_MEd16
Homenagens
Após os discursos, algumas homenagens foram realizadas a professores, médicos residentes, funcionários e pais.
Sobre o curso de graduação em Medicina
O currículo é dividido nos três ciclos: básico (1ª e 2ª séries), profissionalizante (3ª e 4ª séries) e internato (5ª e 6ª séries). Os cenários utilizados nas atividades de formação médica são: Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB), Unidades Básicas de Saúde (UBS) e Unidades de Saúde da Família (USF), da Secretaria Municipal de Saúde de Botucatu, Centro de Saúde Escola (CSE) e hospitais de nível secundário (Hospital Estadual de Botucatu e Bauru e Hospital do Bairro de Botucatu).

Deixe uma resposta