Sindicato e Prefeitura se reúnem para discutem progressão funcional e licença-prêmio

O encontro foi no gabinete, na tarde desta quarta-feira (29)

da Assessoria

Membros da diretoria do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Botucatu (Sispumb) se reuniram com o Prefeito Mário Pardini e integrantes da administração para discutir a progressão funcional e licenças-prêmio da categoria, que foram instituídas na reforma administrativa de 2012 e ainda não estão regulamentadas. O encontro foi no gabinete, na tarde desta quarta-feira (29).

De acordo com o Prefeito Mário Pardini, na época em que o regime foi instituído não foram feitos estudos de impacto financeiro orçamentário. “Pelos nossos estudos, se começarmos a pagar a progressão funcional agora, bem como substituir os funcionários em licença-prêmio, em sete anos a prefeitura atinge o limite prudencial de gasto com folha de pagamento, o que pode gerar um colapso no município”, lamenta.

O presidente do Sispumb, Fernando Pascussi, destaca a necessidade de resolver a situação o mais breve possível. “O problema maior será com ações na Justiça, o que vai onerar mais ainda a prefeitura”, comenta.

Novo estudo – a prefeitura vai contratar um novo estudo para calcular os impactos financeiros, a intenção é encontrar a melhor solução para proporcionar os benefícios aos servidores. “Vamos montar uma comissão mista, com membros da Administração, Sindicato e Servidores, para acompanhar os estudos”, explica Pardini.

O regime autárquico da Prefeitura Municipal teve início em 2012, na gestão João Cury. No regime, servidores abriram mão de Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, entre outros benefícios para terem progressão funcional e direito à licenças-prêmio.