PSDB de Botucatu declara apoio a Jair Bolsonaro

No 1º turno das eleições, o militar reformado venceu em Botucatu obtendo 41.260 votos (56,67%)

por Flávio Fogueral

O Diretório Municipal do PSDB definiu na noite de quarta-feira, 10, apoio ao candidato Jair Bolsonaro, na disputa do segundo turno pela Presidência da República. A confirmação foi dada pelo presidente da legenda, o secretário municipal de Participação Popular, André Rogério Barbosa (Curumim).

Segundo a nota divulgada pelo partido, a opção pelo militar reformado como postulante ao Palácio do Planalto deve-se à “fadiga” dos sucessivos governos do PT, legenda do candidato Fernando Haddad.  “Não concordamos com a forma que o PT governou o país nos últimos anos. Vivemos uma crise por conta da má administração do governo petista. Nesse sentido, vamos apoiar o Bolsonaro, que tem grandes chances de colocar nosso país na linha novamente, sem radicalismo, mas combatendo a corrupção e favorecendo nossa população”, disse o presidente municipal do PSDB, André Rogério Barbosa, o Curumim, com o apoio de todos os membros presentes na reunião.

A posição é compactuada pelo prefeito Mário Pardini (PSDB), que ressalta os impactos da crise econômica na administração municipal. Mesmo declarando apoio a Bolsonaro, o chefe do Executivo local frisa a necessidade do respeito à população, sem radicalização. “Não voto no PT de forma alguma. Esse partido afundou nosso país e eu tenho sentido muito o reflexo disso no nosso dia a dia à frente do executivo. Espero que o candidato Bolsonaro possa cumprir tudo que tem explanado como sendo seu plano de governo, sem radicalizar e discriminar as minorias. É a esperança de um Brasil melhor para todos nós”, salientou Pardini.

O presidente da Câmara Municipal, Izaias Colino seguirá a orientação do partido. Faz críticas quanto aos dezesseis anos de mandato do PT na presidência, com ênfase nos escândalos de corrupção que levaram figuras da legenda, incluindo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, à prisão. “Seguirei a orientação partidária. Não temos alternativas melhores e o caminho acaba sendo esse. Meu candidato, sem pestanejar, será Bolsonaro por tudo que o governo do PT representou nestes anos todos, com diversos escândalos. Ainda mais por terem lançado a candidatura em frente a um presídio (referindo-se à sede da Polícia Federal em Curitiba (PR), onde Lula está preso). Não vejo condições de apresentar uma candidatura diferente dessa”, frisou.

Um dia antes, porém, a Executiva Nacional do PSDB definiu que permaneceria “neutra” quanto ao posicionamento no segundo turno das eleições, liberando assim seus diretórios e filiados para definir apoio ou em Jair Bolsonaro, ou em Fernando Haddad.

Além do apoio a Bolsonaro, a legenda também ratificou apoio a João Dória para o governo do Estado. O tucano disputa o segundo turno ao Palácio dos Bandeirantes contra o atual governador, Márcio França, que inclusive recebe apoio de ex-tucanos influentes como o atual secretário de Estado da Educação e ex-prefeito de Botucatu, João Cury Neto (sem partido).

Fernando Cury não se posiciona

Reeleito deputado estadual com quase 100 mil votos, Fernando Cury (PPS), não declarou apoio a nenhum dos postulantes ao Palácio do Planalto. Por meio de sua assessoria de imprensa, ressaltou que o momento é de trabalhar na campanha de Márcio França ao governo do Estado.

A Executiva nacional do PPS, no entanto, liberou seus filiados e diretórios para o apoio a qualquer um dos candidatos. Em âmbito estadual, não houve posicionamento do diretório paulista, onde Cury é seu vice-presidente.

Ielo

O casal Ielo, com a vereadora Rose Ielo e o ex-prefeito Mário Ielo, ambos do PDT, não se manifestaram oficialmente quanto à escolha ao apoio a um dos dois candidatos a presidente. O ex-chefe do Executivo botucatuense (cargo que ocupou quando era filiado ao PT, partido de Fernando Haddad), apenas postou em seu perfil no Facebook apoio a Márcio França ao governo do Estado. Os dois representantes do PDT em Botucatu foram procurados pela reportagem, mas não retornaram os contatos.

A Executiva nacional do PDT, incluindo Ciro Gomes, declararam nesta quinta-feira, 11, apoio crítico à candidatura de Fernando Haddad.

Bolsonaro foi o mais votado em Botucatu no 1º turno

No primeiro turno das eleições, Bolsonaro venceu em Botucatu- cujo colégio eleitoral é composto por mais de 96 mil eleitores-, obtendo 41.260 votos (56,67%). Fernando Haddad foi apenas o quarto colocado, recebendo 7.358 votos (10%), ficando atrás de Geraldo Alckmin (PSDB), que teve 9.063 (12,24%) e Ciro Gomes (PDT), cuja candidatura angariou 8.913 votos (12,14%).