Emissoras encerram oficialmente a transmissão analógica de TV na região

Novo padrão de transmissão acarretará algumas mudanças significativas como a alta definição de imagem e som

por Flávio Fogueral

As emissoras de televisão com operação em sinal aberto na região de Botucatu desligam nesta quarta-feira (12), o modo analógico de difusão, substituindo-o pelo modelo digital. O processo de encerramento do modelo teve início no dia 28 de novembro, conforme calendário estabelecido pelo Ministério das Comunicações.

Além de Botucatu, outros 20 municípios da região como Avaré, São Manuel, Pardinho, Itatinga, Anhembi, Bofete e Conchas, também mudarão a forma de sintonizar a programação televisiva.

O novo padrão de transmissão acarretará algumas mudanças significativas como a alta definição de imagem e som, além de garantir possível interatividade do telespectador. Em questão técnica, haverá a eliminação de antigos problemas como chiados e imagens com distorção.

O objetivo da mudança é a liberação de faixa de radiodifusão (700 megahertz) que será utilizada exclusivamente para a ampliação dos serviços de telefonia e internet móvel, da quarta geração (4G). A expansão desta rede já vem ocorrendo gradativamente pelas operadoras.

Algumas das emissoras, como a TV TEM (afiliada da Rede Globo), Record TV Paulista, TV Band Paulista e SBT Central, já mantinham os dois sistemas de transmissão de sua programação, há alguns anos como forma de preparar o telespectador para a mudança. A Rede Vida, por exemplo, foi a primeira a adotar o modelo digital na região.

Para receber o sinal digital, o botucatuense precisará descobrir se o aparelho é habilitado para o novo padrão de transmissão. As antenas (tanto externas quanto internas) devem ser adequadas para o sistema, com preferência em UHF. Já os aparelhos televisores, sejam de tubo ou tela plana (LCD ou LEDs) fabricadas até 2010 precisarão de um conversor para a recepção que custam, em média, R$ 50.