Professor da Fatec de Botucatu integra comitiva paulista em busca de investimentos na China

Objetivo é fomentar o desenvolvimento econômico entre o Estado e investidores internacionais

por Flávio Fogueral

Uma comitiva do governo do Estado está em missão oficial na China em busca de investimentos. Chefiada pelo governador João Doria (PSDB), um extenso grupo de secretários estaduais, empresários e investidores terão extensa agenda na segunda maior economia do mundo.

Objetivo é fomentar o desenvolvimento econômico entre o Estado e investidores internacionais. O governador e a delegação- incluindo 35 empresas- passarão uma semana no país asiático. Na oportunidade será inaugurado o  escritório da InvestSP em Xangai.

Além da instalação de empresas nos dois países, a visita também buscará investimento na área de transportes, logística e geração de energia elétrica.

Por isso, foram convidados especialistas do setor para debater as necessidades e potencialidades de um possível acordo Brasil e China. Entre os convidados está o professor da Faculdade de Tecnologia de Botucatu, Luís Fernando Nicolosi Bravin, especialista nas áreas de logística e transporte, com ênfase em hidrovias, engenharia naval e oceânica, além de infraestrutura.

O convite ao professor veio do próprio governo paulista e o mesmo estará, nos próximos dias, em visitas a empresas de logística e despoluição de rios.  “O principal objetivo é aprender como fizeram os investimentos, quais os acertos,  tecnologias desenvolvidas e fomentar parcerias”, frisou Bravin.

Bravin integra a comitiva composta ainda por mais de 30 empresários dos diversos setores econômicos

Relações São Paulo e China

O último acordo entre o Estado de São Paulo e o Governo Chinês foi assinado em novembro passado. Na ocasião, Câmara de Comércio Internacional da China e InvestSP estabeleceram um acordo para promover investimentos e divulgar atividades das duas regiões.

São Paulo e China possuem 11 acordos de cooperação. A maioria deles visa fortalecer relações em setores de investimentos, agricultura e esportes.

Um estudo da Comissão Especial para a América Latina e o Caribe (Cepal), de 2005 a 2017, mostra que o Brasil recebeu 55% dos investimentos chineses na América Latina. Segundo o Ministério do Planejamento, foram investidos U$ 53,9 bilhões entre 2003 e 2018.