Dom Lúcio poderá se tornar escola em período integral

Adoção do novo modelo educacional do governo paulista ocorreria para 2020

da Redação

A Escola Estadual Dom Lúcio Antunes de Souza, na Vila dos Lavradores, poderá adotar um novo formato de educação em período integral. É o que está sendo estudado pela direção da unidade escolar junto com a Diretoria Regional de Ensino, objetivando a adoção do novo modelo educacional do governo paulista já para 2020.

Informação foi dada na manhã desta quarta-feira, 21, pela dirigente regional de ensino, Rosilene Vargas. A gestora reuniu-se com o prefeito Mário Pardini para anunciar os estudos de transformação da unidade escolar. Estiveram presentes a supervisora de ensino, Paula Miyuki Nakamura Ouchi, e a diretora da escola, Adriana Ferreira Bertolini.

O novo sistema de escolas estaduais em período integral foi anunciado nesta quarta-feira (21) pelo governo paulista e terá modificações significativas.  Neste programa, os estudantes passam a ter uma matriz curricular diferenciada que inclui ensino profissionalizante, orientação de estudos, experiências práticas de ciências, tutoria personalizada com um professor, além dos clubes juvenis, em que os alunos se auto-organizam de acordo com seus temas de interesse como dança, xadrez, debates etc. A carga horária é de até nove horas e meia – na rede regular a jornada é de cinco horas.

Para participar do PEI, a escola terá que demonstrar interesse até o dia 13 de setembro, via Diretoria de Ensino. Após avaliação técnica, a Secretaria da Educação dá um parecer sobre a viabilidade ou não da expansão do modelo na escola. Nessa etapa, a expectativa é atender cerca de 100 unidades escolares, que tenham, em média, 500 estudantes cada. Serão privilegiadas, segundo o governo paulista, escolas na qual o modelo pode impactar positivamente na comunidade. Para se ter uma ideia, o Dom Lúcio tem 400 alunos matriculados.

Outra vantagem do modelo é que ele permite que os professores atuem em regime de dedicação integral a uma escola, com mais tempo para estudo e preparação de aula. Para isso, recebem uma gratificação de 75% no salário-base. Hoje 417 escolas da rede estadual já funcionam nesta modalidade.