Desenvolvimento e qualidade de vida

A vocação de Botucatu como polo gerador de riquezas, investimentos

por Emílio Angella Neto*

A recente edição do ranking “Melhores Cidades para se Fazer Negócios”, feito pela consultoria Urban Systems mostra novamente que Botucatu, em 2019, é uma das cem cidades brasileiras onde o fomento econômico segue o fluxo positivo, consistente e que resultará em mais atratividade a investimentos.

Botucatu alcançou a 78ª colocação, obtendo nota 10,71, em um ranking onde a pontuação máxima chega a 26. Ficamos a frente de diversas capitais e próxima de outras da região, como Bauru, Jaú, Franca e Guarulhos. Todas com perfil econômico definidos e, em sua maior parte, com populações maiores que a nossa. Isso mostra o quanto nossas políticas e iniciativas têm se mostrado eficazes.

Emílio Angella Neto é presidente da Associação Comercial e Empresarial de Botucatu

Foram analisados quesitos como desenvolvimento econômico, capital humano, desenvolvimento social e infraestrutura. Todos estes aspectos que necessitam de primordial atenção por parte de governantes, sociedade civil organizada e entidades representativas e de classe.

Este recorte feito e que consta no ranking abrangeu 317 cidades que concentram 57% da população brasileira. Mais além: 70% do Produto Interno Bruto (PIB) e 62% das empresas estão nestas localidades, o que geram 72% dos empregos formais. Figurar neste universo reafirma a vocação de Botucatu como polo gerador de riquezas, investimentos e oportunidades no centro-oeste paulista.

Os índices obtidos reafirmam o compromisso que todas as esferas da sociedade botucatuense em ter uma Cidade cada vez mais pujante e que incentiva o empreendedorismo, além de garantir qualidade de vida a seus cidadãos. Aos poucos melhoramos os índices de alfabetização, saneamento básico, mobilidade urbana, estrutura de serviços, saúde pública, segurança, habitação. Isso está traduzido no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), ferramenta das Nações Unidas que mensura o cenário de vida em diversas localidades. Neste contexto, obtivemos nota 0,80, considerada muito alta.

Ainda há muito a se avançar, mas os resultados desta união já sentimos em pesquisas para investimentos, atratividade de novos empreendimentos nos mais diferentes setores: habitacionais, comerciais, industriais e mesmo na área acadêmica. Mais do que isso, investir de maneira sustentável, com planejamento e ofertando oportunidades que garantem diretamente uma melhor qualidade de vida aos botucatuenses.

*Emílio Angella Neto é presidente da Associação Comercial e Empresarial de Botucatu.