Caio Induscar investigará causas de incêndio em setor de pinturas

Mesmo com a intensidade das chamas, não houve feridos

da Redação

Após o incêndio que consumiu parte da estrutura do setor de pinturas por volta das 20h30 de segunda-feira, 18, a direção da Caio Induscar emitiu nota oficial sobre o assunto e reforça que as causas das chamas estão sendo averiguadas.

Na oportunidade, as chamas se espalharam pelo setor denominado de “revisão de pintura da liberação”, que fica próxima à portaria da empresa, às margens da Rodovia Marechal Rondon (SP 300). A unidade de Botucatu é a maior unidade fabril da organização, com 470.227,01 mil m² de área construída.

O fato chamou a atenção de motoristas e populares que flagraram o ocorrido (confira os vídeos abaixo).

< /p>

O combate ao incêndio foi prontamente realizado pelo Corpo de Bombeiros que, segundo a empresa, deslocou seis agentes, um caminhão tanque de alta capacidade e uma viatura de resgate. Mesmo com a intensidade das chamas, não houve feridos. 

Na manhã desta terça-feira, 19, os trabalhos foram para contabilizar os possíveis prejuízos e análises das causas, para posteriormente ocorrer a reforma do espaço.

Setor afetado pelas chamas já passa por averiguação e por reparos. Foto: Assessoria de Imprensa Caio Induscar

Leia a nota oficial abaixo:

A Caio Induscar unidade Botucatu, sofreu um início de incêndio na noite de ontem, 18 de novembro de 2019, por volta das 20h30, que foi rapidamente combatido pela brigada interna com o apoio do Corpo de Bombeiros da cidade.

A maior planta fabril da Caio, fabricante de ônibus localizada em Botucatu, cidade do interior de São Paulo, registrou um princípio de incêndio na área da revisão de pintura da liberação, bem próxima à Portaria da empresa com acesso pela Rodovia Marechal Rondon. 

“A proatividade de nossa equipe de colaboradores brigadistas e a rápida ação do Corpo de Bombeiros da cidade, foram decisivas para que a situação fosse prontamente resolvida sem vítimas, sem danos materiais relevantes e nenhum ônibus em produção prejudicado, tanto que às 21h00, o incêndio já estava controlado. Às 22h30, a fábrica já estava funcionando normalmente”, informou o diretor industrial da Caio, Sr. Maurício Lourenço da Cunha.

Segundo o 2º Sargento P.M. Wilson Agnaldo Ferrari, que esteve na ocorrência, foram deslocados para a empresa seis bombeiros, um caminhão tanque de alta capacidade e uma viatura de resgate, caso houvessem vítimas. “Chegamos na Caio em aproximadamente quatro minutos, devido ao rápido acesso pela rodovia e os brigadistas da empresa já estavam em ação. O Sistema de Combate a Incêndio da empresa foi muito eficiente, com alarmes, sprinklers e luzes de segurança em perfeito funcionamento. Trabalhamos posteriormente no rescaldo e na verificação do local, para atestar a segurança”, completou. 

A causa do incêndio está sendo averiguada.

A Caio agradece a todos os envolvidos na ação e exalta o trabalho dos colaboradores, dos brigadistas e do Corpo de Bombeiros de Botucatu.

Assessoria de Imprensa

Novembro 2019

Sobre Flavio Fogueral