Prefeitura e Sabesp assinam autorização para Barragem do Rio Pardo

O investimento será de R$ 53,5 milhões custeado pela Sabesp

da Prefeitura de Botucatu

A Prefeitura de Botucatu e a Sabesp assinaram na quinta-feira, 21, a autorização para o início das Obras da Barragem de Acumulação de Água do Rio Pardo. O investimento vai garantir a segurança hídrica de Botucatu pelas próximas décadas.

O evento de assinatura contou com a presença do Governador em Exercício, Rodrigo Garcia, do Secretário de  Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado de São Paulo, Marcos Penido, do Deputado Federal, Samuel Moreira, do Secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi e lideranças regionais.

“Estamos aqui para comemorar mais uma conquista do Governo Estadual. A época da crise hídrica chamou atenção para o problema e hoje estamos assinando a autorização que vai garantir maior segurança hídrica para o Município”, destacou o Governador em Exercício do Estado de São Paulo,
Rodrigo Garcia.

“A crise hídrica impôs um planejamento e fez com que buscássemos alternativas. A barragem do Rio Pardo foi a solução encontrada e hoje, com o apoio da Sabesp, daremos já início a essa obra tão importante para garantir o futuro para a cidade de Botucatu”, afirmou Prefeito Mário Pardini, recordando a crise hídrica de 2014.

Com as obras, a represa ocupará uma área de 150 hectares e tem por finalidade armazenar água para atendimento das demandas de abastecimento público. A barragem terá a função de regularizar a vazão de água bruta do Rio Pardo à sua jusante a um patamar de 800 litros por segundo, sendo que a necessidade de consumo da população atual de Botucatu é de 520 l/s.

O investimento será de R$ 53,5 milhões e a previsão é que os trabalhos para a construção da represa sejam concluídos no primeiro semestre de 2022. Após o término da construção da barragem, haverá ainda as etapas de enchimento do reservatório, plantio compensatório de 160 mil mudas de árvores nativas e manutenção. Com isso, a Barragem do Rio Pardo deve entrar em operação até o final de 2023.

Atualmente, a captação de água é feita diretamente no curso do rio, deixando o município vulnerável na época de falta de chuvas. Com a nova barragem, se houver uma crise hídrica como a que ocorreu em 2014 – a mais severa da história do município -, Botucatu terá reserva durante um ano sem necessidade de medidas drásticas, como o racionamento de água.

Sobre Flavio Fogueral