Areia Que Canta – Uma Nascente Cristalina em Brotas!

Para mantermos as nascentes, é necessário conservar também os fragmentos de vegetação nativa que temos

por Vinícius Nunes Alves*

Provavelmente os leitores e as leitoras desta postagem já foram em algum lugar natural muito bonito do Brasil e que recomendariam para outras pessoas visitarem. Talvez, alguns dos que estão lendo esta postagem até já conheçam o lugar especial que vou introduzir aqui. É a nascente “Areia Que Canta” que pertence a um hotel de mesmo nome – Hotel Fazenda Areia Que Canta de Brotas-SP, pequena cidade turística que está apenas cerca de 95 Km de distância e cerca de 1h30min de viagem em relação à nossa Botucatu-SP.  

Visitei essa nascente há alguns anos e para quem gosta de natureza, recomendo bastante, principalmente para quem não conhece uma nascente conservada, dentre tantas destruídas! Não desconsiderando a importância da água da chuva, as nascentes brotam sobretudo de água subterrânea com muita ajuda de raízes de plantas nativas. As nascentes são muito importantes para a formação e manutenção dos rios, os quais representam apenas 0,02% de toda água no planeta (segundo enciclopédia internacional). Ou, se quiser somar a água subterrânea de aquíferos com as nascentes, chegamos a quase 1% (segundo CATI). Essas são as pequeninas frações estimadas de água doce que temos para consumo. Por isso é tão importante que o agronegócio e os cidadãos em suas casas economizem mais água. Atitudes individuais e simples podem ser adotadas em casa, como usar a mesma água para lavar roupa e regar o jardim, ter uma caixa d’água, etc.

Podem existir nascentes mais perto de nós do que imaginamos. Muitas delas em zona rural são perenes (estáveis) como esta e, nesse caso, devem ter vegetação nativa em volta num raio de 50 metros (segundo Novo Código Florestal). A bela “Areia Que Canta” de água cristalina e areia clara (ver minha foto) é aberta para visitação pública mediante custo e regras do hotel fazenda, e é apenas uma das nascentes do Rio Tamanduá, dentro do perímetro de Brotas/SP. Mas por que uma areia cantaria? A água cristalina desta nascente brota dos olhos de areia presentes no fundo. Essa areia é composta quase exclusivamente por quartzo, um mineral abundante e esférico que se raspado/atritado, emite um som parecido ao do instrumento cuíca!     

Em Botucatu que é maior que Brotas-SP certamente também tem diversas nascentes ainda conservadas. Por exemplo, temos a nascente conservada do Ribeirão Lavapés que está dentro dos limites da Escola do Meio Ambiente da prefeitura de Botucatu. Mas será que também tem nascentes como a “Areia Que Canta” aberta para visitação? Talvez, mas nenhuma que eu conheça. Para mantermos as nascentes, é necessário conservar também os fragmentos de vegetação nativa que temos. Em Botucatu e região temos áreas de dois biomas – Cerrado e Mata Atlântica – sem os quais as nascentes tendem a secar. Isso acontece principalmente se desmatarmos indiscriminadamente o Cerrado, cujas plantas possuem raízes muito desenvolvidas e complexas, chegando em aquíferos e puxando a água de longe, fazendo brotar os rios, conta o professor e pesquisador Altair Sales Barbosa em entrevista. E aí, ficou com vontade de conhecer uma nascente cristalina como esta? 

Vinícius Nunes Alves é Licenciado e Bacharel em Ciências Biológicas – IBB/UNESP. Mestre em Ecologia e Conservação de Recursos Naturais – UFU. Especializando em Jornalismo Científico – Labjor/UNICAMP . Professor Escolar da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo.