Botucatu se consolida entre as 50 cidades mais inovadoras do Brasil

Ao ser aplicado em cada item, Botucatu obteve 31,887 pontos nesta avaliação

por Flávio Fogueral

Gradativamente Botucatu tem alcançado altos índices de desenvolvimento, tornando-se um pólo de investimento na região centro-oeste paulista. Isso significa mais atratividade para a instalação de empresas, oportunidades de negócios e geração de emprego. Recentemente, a consultoria Urban Systems classificou o município entre os 100 mais propícios para o fomento empresarial ao analisar infraestrutura, políticas sociais, além de outros aspectos. 

Dessa vez, a mesma consultoria traçou análise de cidades “inteligentes” e conectadas, por meio do ranking “Ranking Connected Smart Cities”, onde especificou os locais com melhor mobilidade, urbanismo, meio ambiente, energia, tecnologia e inovação, economia, educação, saúde, segurança, empreendedorismo e governança. Para se obter as notas finais foram aplicados 70 indicadores que contemplam tópicos como nível educacional e formação acadêmica da população, pólos de inovação e fomento a pesquisas, empreendedorismo, frota de  veículos, conexões rodoviárias/ aeroviárias/ ferroviárias, legislações sobre ocupação do solo, empregabilidade, independência municipal quanto a repasses de outras unidades da federação (Estado e União), acesso a computador e outros aparatos tecnológicos e de conexão com a internet, taxas de roubos/furtos e homicídios, acesso a serviços de saúde, crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), entre outros. Dessa forma, o total de pontos da edição 2019 do Ranking Connected Smart Cities é de 69,5 pontos.

As análises foram feitas com informações obtidas através de órgãos oficiais como o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), índice da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade), Fundação Getúlio Vargas (FGV), além de órgãos governamentais como os ministérios da Economia; da Ciência, Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações; Receita Federal; Instituto Nacional do Seguro Social (INSS); instituições bancárias e de fomento.

Ao ser aplicado em cada item, Botucatu obteve 31,887 pontos nesta avaliação, figurando na 49ª colocação do ranking. Junto com Piracicaba (21º) e Lençóis Paulista (91º) são os únicos municípios em um raio de cem quilômetros a figurar na avaliação. O posicionamento botucatuense apresenta avanço quando da edição do ano anterior, quando a Cidade foi escalonada como sendo a 51ª mais “conectada” do país.

Foram preponderantes nesta avaliação a somatória obtida nos onze grandes eixos de análise: mobilidade, urbanismo, meio ambiente, energia, tecnologia e inovação, economia, educação, saúde, segurança, empreendedorismo e governança.  Dos onze quesitos analisados, Botucatu só não figura no ranking em mobilidade e acessibilidade, segurança, governança.  

Uma das melhores avaliações onde Botucatu figura foi no quesito urbanismo, onde ocupa a 30ª colocação, obtendo nota 5,249. Alguns critérios apresentados consistiram em pontos como despesas pagas com urbanismo por habitante, leis de zoneamento, operação urbana e plano diretor estratégico, porcentagem da população vivendo em densidades populacionais médias e altas, atendimento urbano de água e atendimento urbano de esgoto.

A análise de Meio Ambiente colocou Botucatu como sendo o 78º melhor município do  Brasil, obtendo 5,443 pontos. Foram escopo de análise, pontos como eixo de mobilidade e acessibilidade e energia, monitoramento de área de riscos e porcentagem de resíduos plásticos recuperados, indicadores de infraestrutura e acesso a serviços de abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto e recuperação de resíduos sólidos.  

Já no recorte Tecnologia e Inovação, o município obteve 2,653 pontos, alcançando a 54ª posição. Nesta análise foram observados fatores como capital humano, infraestrutura de telecomunicação

(Fibra Ótica e 4,5G), produção de conhecimento (Patentes) e incentivo à pesquisa (Bolsa CNPq). Esta nota foi obtida por causa do avanço dos investimentos em conectividade, como a expansão da rede de fibra ótica, desde 2017, a adoção do sistema digital de televisão, a potencialização do acesso a veículos de comunicação, bem como a presença de faculdades e universidades.

Diretamente ligado a políticas públicas e investimentos governamentais, o tópico Saúde manteve Botucatu como sendo um dos mais desenvolvidos do país pela pesquisa da Urban Systems. Com nota atribuída de 3,322, o município ocupa a 53ª posição neste quesito. Foram utilizados como critérios a mensuração de índices como mortalidade infantil e a infraestrutura tecnológica de saúde. Ou seja, oferta de leitos hospitalares e de assistência diversa e especializada, profissionais qualificados, cobertura de atendimento, investimentos público no setor e mortalidade infantil. Neste recorte ainda prevaleceram indicadores de infraestrutura de saneamento básico, uma vez que a ausência de acesso à água potável e a coleta de esgoto pode indiretamente acarretar problemas de saúde na população. Em termos comparativos, Botucatu aparece à frente de cidades como São Paulo, Santos, Curitiba (PR) e Goiânia (GO). 

Outro recorte ligado diretamente a investimentos públicos, Educação coloca o município na 57ª posição, com nota 4,324, ficando à frente de cidades como Marília (70ª), Lençóis Paulista (77ª),  Jaú (84ª), Avaré (87ª), Ribeirão Preto (100ª). Foram analisados os eixos tecnologia, inovação, economia e o pleno acesso ao sistema educacional. Em uma vertente a pesquisa avaliou o percentual da força de trabalho em ocupações nos setores de educação e pesquisa e desenvolvimento, bem como número de computadores, laptops, tablets ou outros dispositivos digitais de aprendizagem disponíveis por 1 000 alunos. O foco principal, no entanto, centrou em educação pública, bem como os critérios avaliativos e de desenvolvimento pedagógico. A educação em nível privado foi retirado desse peso. 

Impacto essencial dentro do desenvolvimento econômico, o Empreendedorismo significou a melhor classificação botucatuense no estudo, com a 46ª colocação (nota 1,492). Não há, inclusive, nenhuma cidade em um raio de cem quilômetros ranqueada neste recorte, que priorizou pontos como economia criativa, tecnologia, micro empresa individual, espaços de inovação e de incubação de conhecimento. A partir deste recorte foi analisado ainda o quesito Economia, onde Botucatu figurou na 86ª posição, obtendo nota 4,444. Neste ponto despontam também os municípios de Bauru (52ª), Itu (69ª), Rio Claro (70ª), Marília (84ª) e Piracicaba (94ª).