Com reajustes, etanol deixa de ser vantajoso em Botucatu

Encontrado atualmente a R$ 3,22 por litro nos postos do município, o etanol tem enfrentado sucessivos aumentos

por Flávio Fogueral

Motoristas que se utilizam do etanol observaram os recentes aumentos no preço comercializado pelo litro do combustível em Botucatu. Isso porque o produto teve variação superior a 3% nas últimas quatro semanas, conforme aponta levantamento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Encontrado atualmente a R$ 3,22 por litro nos postos do município, o etanol tem enfrentado sucessivos aumentos em todo o país. No período de 8 a 14 de dezembro, o combustível era comercializado a R$ 3,04 na média dos nove estabelecimentos pesquisados pela ANP. A partir de 15 de dezembro o valor sobe para R$ 3,12 mantendo-se estável nos dias seguintes. O novo aumento ocorre a partir de 4 de janeiro quando o litro passa a custar R$ 3,16 em média nas bombas. Já na última semana, o produto subiu para R$ 3,22.

Desde abril do ano passado que os valores estavam na casa dos R$ 3,10 ao consumidor, tendo oscilações de queda a partir de maio. Com o início da entressafra da cana-de-açúcar, sendo que as usinas só voltarão a produzir a partir de março. Outro fator que contribuiu para o aumento foi a oscilação do preço do petróleo derivada da crise internacional entre Estados Unidos e Irã, o etanol voltou a apresentar elevação devido à demanda no mercado. 

A gasolina, no entanto, teve desempenho de alta mais contida, subindo 0,83% nas últimas quatro semanas, passando de R$ 4,45 a R$ 4,49 o litro nos postos botucatuenses.  Com isso, para completar o tanque usando etanol, o dono de um carro popular, com tanque estimado em 50 litros, pagará R$ 161. Já para usar gasolina, com a mesma quantidade, o botucatuense desembolsará R$ 224. 

Nesta situação, abastecer com etanol passa a não ser vantajoso para os motoristas. Pelo cálculo da própria ANP, para que o produto agrícola seja competitivo frente à gasolina, seu preço precisa ser inferior a 70% do combustível fóssil. Pelo cálculo na metodologia do governo, a divisão entre o preço do litro do etanol dividido pelo litro da gasolina chega a 0,717.