Descubra quais profissões estão em alta

Há aumento acelerado na demanda por cargos baseados em novas tecnologias

da Assessoria

Para quem está ingressando no mundo do trabalho ou pensando em empreender, conhecer as profissões em alta nesse início de 2020 é um bom começo. Segundo o relatório do Fórum Econômico Mundial (FEM), nos próximos anos, o universo da tecnologia, marketing, vendas e varejo, além do mercado financeiro e de gestão corporativa, ganharão maior destaque profissional.

Para Gustavo Luigi Martin do Amaral, docente da área de gestão e negócios em Botucatu, isso ocorre pois o mundo está iniciando um processo chamado de Indústria 4.0, mais moderno e dinâmico. Assim, ao buscar uma recolocação profissional ou a primeira experiência no mundo do trabalho, é importante que se tenha em mente que a tecnologia estará presente.

“O profissional que deseja ingressar em segmentos que estão em alta precisa se preparar e se especializar. É imprescindível também estudar o mercado e nunca parar de aprender. Ou seja, é necessário entender que a busca por conhecimento sobre este mundo do trabalho em transformação deve ser constante”, explica.

Em seu relatório, o Fórum Econômico Mundial também destaca um aumento acelerado na demanda por cargos baseados em novas tecnologias. Especialistas em inteligência artificial, big data, automação de processos, além de analistas de segurança da informação, designers de experiência do usuário, interação homem-máquina e engenheiros robóticos são profissionais que ganharão espaço, segundo o estudo.

Assim, o domínio da Internet das Coisas, de programas de realidade aumentada e de softwares que auxiliem na redução de custos/aumento de rendimento serão, com o passar dos anos, habilidades requisitadas pelos gestores. “Há muita verdade no ditado: se você fizer o que gosta, jamais irá trabalhar em toda sua vida. Contudo, é preciso refletir se determinada profissão terá longevidade ou poderá deixar de existir no futuro”, reforça Gustavo.

O docente ainda explica que há a alternativa de empreender, para não se tornar dependente de alguém ou de uma empresa, mas isso também requer conhecimento e, indispensavelmente, planejamento. “Com a informatização, automação e a robótica, haverá a exclusão mercadológica em todas as áreas. Nesse cenário, quem estiver bem preparado estará sempre um passo à frente”, alerta.