Facetas de uma separação

Exige penetrar em veredas desconhecidas e, por isso mesmo, fascinantes e perigosas

por Oscar D’Ambrosio

Relacionamentos afetivos são de fato o maior desafio humano. Entender como eles começam, se desenvolvem e terminam é um mistério que está além da racionalidade. Exige penetrar em veredas desconhecidas e, por isso mesmo, fascinantes e perigosas. Cada passo nessa direção é um mergulho nas profundezas de nossa mente e de nosso espírito. E não tem volta.

O filme “História de um Casamento”, de Noah Baumbach, nos obriga a pensar nos caminhos múltiplos de um casamento ao acompanhar a jornada vivencial de um diretor de teatro alternativo em ascensão em Nova York e sua esposa, sua principal atriz, convidada a gravar uma série televisiva em Los Angeles.

Ambos são do mundo da representação e do espetáculo. E talvez esse fator, o de estarem relacionados às artes, multiplique suas apreensões de sua relação com o mundo. Isso os faz tentar resolver a sua separação e a guarda judicial do filho da maneira mais amistosa possível. Mas não bastam as boas intenções. O sistema jurídico e as desavenças acumuladas azedam tudo e muitas vezes pensam neles mesmos e não na criança dividida entre dois universos.

O casal, interpretado com vigor por Adam Driver e Scarlett Johansson, e alguns personagens complementares ao enredo, como os advogados vividos com talento por Laura Dern, Alan Alda e Ray Liotta, constroem uma fábula contemporânea que apresenta personagens que expressam sentimentos e percepções universais sobre as múltiplas facetas de uma separação.

Oscar D’Ambrosio é jornalista pela USP, mestre em Artes Visuais pela Unesp, graduado em Letras (Português e Inglês) e doutor em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e Gerente de Comunicação e Marketing da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.